Na aventura anterior, o meio-orc Imsh, companheiro de Liam, havia morrido nas garras de adoradores de Shalistir.

De volta a Strynd, os heróis buscam a ajuda do Bispo Clermont, da Abadia do Concílio da Luz, um Templo de Mylanian. O Bispo informa que poderia trazer o bárbaro de volta caso eles recuperassem uma relíquia que se encontrava perdida no Cemitério dos Guerreiros Derrotados e a levasse imediatamente para a Catedral da Aurora Radiante, na cidade de Marantel, a terra natal de Hejaz.

Os heróis ainda não sabiam, mas essa  missão levaria-os a libertar a alma de um nobre clérigo da luz.

Aventura Anterior: Gradelskun, as Cavernas do Medo”

Banco de Aventuras – Lista de Aventuras do Grupo 1

PdJs – Liam Lianon

PdMs – Hejaz Gorwill, Rwynia Irktusk, Ariganaka

Local – Cemitério dos Guerreiros Derrotados, Condado de Marantel, Reino de Dulamar, Ilagren

Descrição – Essa aventura foi motivada porque o meio-orc Imsh havia morrido na aventura anterior. Para que pudesse voltar a vida, o Bispo Clermont informou que os heróis precisavam realizar uma missão pela Igreja de Mylanian. Eles deveriam resgatar um item que se encontrava no Túmulo do Rei Ferthgull, no Cemitério dos Guerreiros Derrotados (leia abaixo), localizado no Condado de Marantel.

Os heróis entram no cemitério, enfrentam diversos mortos-vivos, desde zumbis, esqueletos, sombras e carniçais. Eles invadem o Túmulo de Ferthgull e encontram o Escudo Raio do Dia, a relíquia Clermont pediu para os heróis recuperassem. No final da aventura os heróis enfrentam o fantasma do próprio Rei Ferthgull. Durante o embate, o fantasma arrancou o antebraço de Liam usando uma espada mágica, quase matando o feiticeiro. Os heróis só conseguem vencê-lo porque Hejaz usou os poderes Escudo, o que o fez recuar para as catacumbas.

Conclusão – Os heróis vencem os desafios do cemitério e recuperam o Escudo Raio do Dia. Eles deixam o cemitério e voltam para a cidade de Marantel, na Catedral da Aurora Radiante. Lá se recuperam da aventura e no dia seguinte a Arcebispa Anabelle Sunshine II recebe os heróis, os homenageando por terem saído com vida do cemitério. Posteriormente a Arcebispa entrega o Escudo Raio do Dia para Hejaz em uma cerimônia no templo, deixando claro que ele deveria ser seu novo guardião. Essa era a vontade da Deusa da Luz. (Veja abaixo a verdadeira história do Escudo).

No dia seguinte os heróis voltam para Strynd e lá o Bispo Clermont, cumpre com sua palavra e revive o meio-orc Imsh. O bárbaro se torna adorador da Deusa da Luz ao lado dos heróis.

Depois dessa aventura Liam e seus amigos partem para Arantur, a capital de Dulamar, em busca de respostas sobre Arvankenth.

Fato Importante – O braço de Liam se regenerou magicamente no dia posterior ao combate contra Ferthgull, ja na cidade de Marantel. Porém, havia um ante-braço reptiliano e quatro garras, semelhante a garra de um dragão azul no lugar do seu ante-braço original. Desde então Liam possui essa garra de dragão, que se tornou marca registrada, símbolo da sua energia arcana selvagem.

Aventura Posterior –  “O Oráculo de Valuna”

A História do Escudo Raio do Dia

A verdadeira história do Escudo Raio do Dia foi revelada nessa aventura. Segundo as lendas, o Cemitério dos Guerreiros Derrotados havia sido abençoado por 3 Clérigos: Aluver, de Arantos, Ghandirok, de Heinvarg e Sunshine, de Mylanian.

O Rei Ferthgull acreditava que para poder sair no cemitério e espalhar sua ira ao mundo dos vivos, deveria sacrificar 3 clérigos dessas três divindades. Ao longo dos anos, alguns sacerdotes tentaram santificar o local. O primeiro foi Aluver, de Arantos, mas ele encontrou seu fim nessa tentativa. Séculos depois foi a clériga Darnele, de Heinvarg, que também foi morta. Depois dessas mortes, passaram-se muitas décadas.

Recentemente, cerca de 50 anos atrás (518 VII Prd), o clérigo Baldegrost, da Ordem dos Radiantes de Mylanian, tentou purificar o cemitério ao lado do seu pupilo, Daschen. Porém, em duelo contra Ferthgull, Baldegrost terminou sendo derrotado e seu espírito aprisionado no Escudo Raio do Dia, que havia ficado perdido nas tumbas do Rei. Baldegrost havia se sacrificado para salvar Daschen, que conseguiu sobreviver.

Daschen terminou morrendo poucos anos depois, ainda no início da sua vida como clérigo de Mylanian. O Escudo Raio do Dia terminou ficando perdido durante décadas na Tumba de Ferthgull, até Hejaz Gorwill conseguir recuperá-lo no ano de 568 VII Prd.

Quando Hejaz foi nomeado herói e novo portador do Escudo Raio do Dia, pela Arcebispa Anabelle Sunshine II, ele descobriu que era a encarnação de Daschen, o pupilo de Baldegrost. Sua missão seria libertar a alma do seu antigo mestre, para que finalmente encontrasse paz ao lado da Senhora da Luz.

Sobre o Cemitério dos Guerreiros Derrotados

O Cemitério dos Guerreiros Derrotados é um local lendário e épico. Foi um grande campo de batalha onde o exercito da Kinária, liderados pelo Rei Ferthgull, lutaram até a morte contra as hordas do Rei Orc Temorkar, que ameaçava todo o futuro das terras civilizadas.

Essa batalha foi um marco para a historia da formação de Dulamar, pois após a derrota de Ferthgull, o General Valenax tomou a coroa da Kinária para si, libertou os escravos rudênios e dorlágos e formou uma poderosa aliança com os elfos de Grishtar. Assim os homens e elfos conseguiram derrotar Temorkar e seu poderoso exercito. Em seguida Valenax fundou Dulamar e deu inicio ao 7º Período.

Escudo_Raio_do_Dia A Segunda Luz

Escudo Raio do Dia.

bb122-a_segunda_luz A Segunda Luz

Arte conceitual da aventura “A Segunda Luz”. Nesse desenho é possível ver o Cemitério dos Guerreiros Derrotados,  mais ao fundo o Túmulo do Rei Ferthgull, logo acima o machado de Imsh, a Coroa de Ferthgull e o Escudo Raio do Dia. Autor: DM Bruno.

A Segunda Luz
5 (100%) 1 vote

pinit_fg_en_rect_red_28 A Segunda Luz

Leia Também: