Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Arzien, Heróis de Arzien

Zelot

Zelot
Arzien_Zelot_2 Zelot

Zelot, a Sombra dos Medalhões.

Zelot é uma heroína dulamariana que faz parte do grupo que busca os Medalhões de Krynplastor. Zelot já passou por diversas situações de perigo e desafios que exigiram muito de sua capacidade física e mental.

Ela é uma mulher reservada, misteriosa, de olhar profundo e penetrante, com uma natureza indomável e sedutora. Estrategista, Zelot não entra em uma batalha qualquer, ela entra buscando pontos fracos onde possa explorar as fraquezas de seus inimigos. Oportunista e sobrevivente por natureza, Zelot se considera hoje a Sombra dos Medalhões, um título que representa suas ações, como uma guardiã que age nos bastidores de seu grupo.

Zelot se tornou membra do Anel Guardião, um grupo de agentes secretos de Dulamar, após ajudar a salvar a Princesa Érika Úrzendur e revelar os planos malignos de Lorde Oskion e do Altar. Ela ganhou respeito e prestígio na Côrte de Dulamar e aceitou fazer parte do grupo na busca pelos Medalhões de Krynplastor. A heroína já cruzou diversos reinos e cidades, tais como Mirkazin, Beríntia e as terras distantes de Hyakato e de Alkemor. Ela sabe que sua jornada será longa e árdua. Seus inimigos não descansarão até conseguirem o que querem.

Recentemente Zelot regressou a vida, após perdê-la em uma armadilha mortal na Pirâmide Enterrada de Davlock, em Terjerûk. Quem a trouxe de volta a vida foi Vanothias Gumbar, o vilão clérigo de Recvill que a enganou no mundo dos mortos. Tendo que servir seu novo mestre, Zelot passou por diversas missões sob o domínio de Khalili, sua contraparte maligna que fazia parte de uma transformação torpe em um Espectro da Decadência.

Mas, como uma sobrevivente e heroína por natureza, Zelot conseguiu se livrar do domínio das trevas com a ajuda de alguma força exterior, expulsando completamente o espírito de Khalili dentro de si. Agora, a ladra segue o seu caminho ao lado dos seus companheiros, ainda mais corajosa e determinada. Ela sabe que eles precisam mais que nunca de sua ajuda.

E ela estará lá, onde menos esperam….sutil, como uma sombra.

GrupoGrupo 2

Jogador: Bruno Brito

Feitos

  • Salvou a Princesa Érika Urzendur, sequestrada por Piratas a serviço do “O Altar”, no Reino de Dulamar
  • Ajudou a cidade élfica de Elortizir, na Floresta Grishtar, a se livrar o Dragão das Três Vindas
  • Libertou o Arquimago Perathos Alberdon que havia sido petrificado por Darshânia, na Torre do Cajado, Arantur, Reino de Dulamar
  • Impediu os planos do O Altar de se infiltrar na Corte de Dulamar, através do casamento da Princesa Érika Urzendur com Sir Esmrock, Arantur, Reino de Dulamar
  • Recuperou o Medalhão da Dominação, que estava com Sir Esmrock, o cavaleiro que estava sob domínio do antigo Rei Vanothias Gumbar, cujo o espírito se encontrava aprisionado no medalhão, Arantur, Reino de Dulamar
  • Desmascarou nobres que estavam a serviço do O Altar em Arantur, capital do Reino de Dulamar
  • Libertou seus companheiros dos Enjauladores, companhia de escravistas, na capital de Mirkazin
  • Recuperou a espada e a honra de um samurai desonrado, em Walshan, em Hyakato
  • Recuperou o Medalhão do Equilíbrio, nas Montanhas Brancas, no Reino de Tuy-Darvlan, em Hyakato
  • Ajudou a salvar a cidade de Terjeruk do Falso Faraó Davlock, na Pirâmide Enterrada (onde veio a falecer)
  • Participou de missões sob o domínio de Khalile, onde teve que assassinar e roubar itens, Azelust, no Reino de Al-Ghumbak, em Alkemor
  • Recuperou o Medalhão do Poder, nas ruínas de Luckendor, Myd-Arventhor, em  Alkemor

Títulos

  • Medalha de Honra da Espada de Prata, por ter salvo a Princesa Érika Urzendur de piratas
  • Vingadora de Elortizir, titulo de heroína por ter derrotado o Dragão das 3 Vindas
  • Heroína de Dulamar, por ter desmascarado e combatido agentes do O Altar infiltrados na Corte
  • Heroína em Terjeruk, por ter ajudado na libertação da cidade da tirania do Falso Faraó
  • “A Sombra dos Medalhões”, título que ela deu a si mesma por se considerar uma guardiã dos Medalhões de Krynplastor
  • Portadora do Medalhão do Equilíbrio

Organizações

  • Membro do Anel Guardião: Renome 10
Zelot Zelot

Zelot, A Sombra dos Medalhões.

Zelot_Khalile Zelot

Zelot sob o domínio de Khalile.

 

803c5-zelot_zoom Zelot

Zelot de posse do Medalhão do Equilíbrio em Alkemor.

A Paixão de Zelot 

Segue abaixo as palavras do criador dessa personagem, Bruno Brito Santos. Ele escreveu esse texto após a morte de sua personagem. Agora, esse texto serve como um guia e norteia e direciona a interpretação dessa fascinante personagem.

A vida, nada mais que um breve suspiro… Um ar contido de emoções, experiências de vida…

Muito mais que uma simples ladina, ladra ou guerreira, eis que esta pequena mulher representa o sonho vivo de fazer o bem, seus atos talvez não pudessem representar tão bem sua filosofia geral, ela queria a paz para o seu mundo, ela queria o controle do mal. 

Estranha epopéia de uma fabulosa mulher, que amou, roubou, matou e viveu pelo seu ideal, não cometo o erro de dizer que era teu sonho. É mais que isso, sei bem, posso julgar que seu intento era ser uma lenda… A paixão de Zelot. 

E ao passo que concebi a existência desta complicada mulher, permitir que ela amasse e que também fosse amada por um amor selvagem e inseguro. Propiciei a ela tudo que adorava fazer, não a impedindo de realizar seus atos mais fascinantes, ainda limitados pela falta de experiência. Mas isso era uma questão de tempo, o difícil forçava a ela devido sua imperfeição estar cada vez mais próxima do perfeito, do sublime. 

Zelot é ainda uma criança, amada aos olhos de seu criador e daqueles que a conhecia. 

A paixão de Zelot não é uma lamentação ou desabafo, é sim um agradecimento, particularmente amei a esta personagem, como descobrir amar a outros poucos (menção a Wenishay, Therick, Halfmoon e Reynard), talvez a mais amada dentre todos, isso não é uma lamentação, porque notei que a vinda de Zelot representou um estranho marco no comportamento de demais personagens femininos que começaram a aparecer com maior freqüência em outros jogos. 

Transcendemos em nossa qualidade de interpretação e pelo menos a mim não foi devido ao sistema ou as regras, mas sim pelo amor à criação, o prazer absoluto de fazer personagens envolventes, carismáticos e importantes pelos seus méritos. 

Ontem uma grande personagem chegou ao seu fim, grande pelo seu valor, importante pelo detalhismo e amada pelas suas imperfeições. Disse que não lamentava, mas lamento sim, pois me lembro de outros grandes e tão essenciais personagens (menção a Rickson e a Loften), seus criadores sabem realmente o quão doloroso foi perdê-los e eu agora sinto isto. Não era poder, não eram grandes itens, eram suas imperfeições, seus planos, seus vínculos… 

Não penso que ainda a quero, sua morte foi demais para mim, assim como pude perceber que foi forte também para Krusther (Foi muito boa a interpretação de Daniel) e também para o mestre (que em sua tentativa de imparcialidade, jogou em uma NPC a “fagulha” de dor que sentia pela perda também, o jogo ficou estranho depois daquilo, mais envolvente, mais humano, mais natural, você conseguiu. A mim restava dormir… Não vou mentir, não chorei por muito pouco, não por que quis ser forte e não me entregar aquele momento de perda, mas por que as lágrimas se limitaram aos olhos e não a face… Pensei no que é o RPG e no que ele é capaz de produzir nos seus interpretadores (menção a “Heironeaus” e suas perdas…). 

A morte é renovadora, deixemos de lado sua perspectiva negativa, Zelot está viva na mente de cada um daqueles que a conheceu, e onde quer que este vão, sua sombra os seguirá… 

“Te dei a minha vida, e uma parte de meu coração
Com caminho na liberdade
Com caminho na prisão de seus intentos
Quando o sentimento voa é algo de bom
Sentimento colado, choro colador
Se você não está disposto a morrer
Estou a favor da minha vida
Em minha poesia já não tem mais o seu nome
Acabou, já foi
Eu não quero estar só, mais já estou
Acabou, chegou ao fim
Se não quero acreditar… a dor me faz despertar…” 
– Zelot.
Zelot
5 (100%) 1 vote

Leia Também:

6 Comments

  1. É difícil carregar em uma personagem tanta história e a devida emoção de sua trajetória. Zelot é complexa, uma das personagens mais difíceis que já construi. Sua força está longe de causar medo, sua trajetória é marcada mais por fugas e escaramuças, do que qualquer história sobre bravura e heroísmo. Em verdade essa dulamariana já sente dificuldade em entender o significado de sua missão. Os Medalhões de Kryn vem representando tudo de ruim que carregou até os presentes dias, e pouco a pouco ela ambiciona destruí-los.

    Zelot, hoje perdeu boa parte de seu brio, preferindo cada vez mais as sombras, talvez como efeito de suas experiências recentes. Não anseia ser condecorada como heroína, ou ter seus atos reconhecidos por príncipes, reis, mercadores ou pessoas comuns atingidas pelos seus bem feitos.

    Zelot representa hoje uma dúvida, uma sombria dúvida acerca de seus reais objetivos, que se convertem em buscar força e poder, outrora características pouco visadas pelos planos de uma Zelot que desconhecia a morte.

  2. Muito bom seu feedback. Esse retorno dos pensamentos e comportamento dos personagens é essencial para o mestre nortear as aventuras e campanhas. Afinal, os PJs são e devem ser os protagonistas de suas histórias.

    Zelot é um personagem fantástico e único. Participou de eventos importantes e certamente terá um caminho pela frente cheio de desafios.

  3. Anônimo

    Marcelo Guimarães falando:

    Na opinião de Sean Kalingard, a mais enigmática membro do Anel Guardião, e isso desperta muita curiosidade no guerreiro. Qual será o seu real caráter? Suas intenções? O que ela tem em mente? Como ela foi dominada por uma parte maligna? Essa parte realmente foi extinta de sua alma? São questionamentos que ele faz a si mesmo.

    Ele também é muito grato a ela por promover sua soltura e fuga. Oportunamente sua gratidão será demonstrada.

  4. Um pouco mais sobre Zelot.

    No início de suas aventuras Zelot era uma jovem fanfarrona e bon vivant das noites dulamarianas. Desde sua participação frequente nos bares e tabernas periféricas da grande cidade às festas nobres as quais participava sem ser convidada. Zelot sempre teve uma habilidade nata de ser silenciosa e sorrateira como uma gata, e esse foi seu apelido na juventude pelos becos e vielas de uma Dulamar de cerca de 15 anos atrás.

    Tanto tempo se passou e tanta coisa aconteceu q esse brio é uma lembrança muito distante da memória de Zelot. Ela sempre achou q era destinada a ser alguém especial, mas a dura realidade do mundo cinza de Arzien foi o remédio para a jovem imberbe se desfraldar dos sonhos de menina tola.

    Zelot tem descoberto q nasceu para viver a margem, nas sombras, tirando vidas sorrateiramente e eventualmente recebendo moedas em troca do serviço. Ela particularmente aprecia trabalhos q envolva silenciar indivíduos de má idole, tais como escravagistas, assassinos, nobres vis e figuras similares.

    Zelot é uma anti herói, uma especialista em subterfúgio e na técnica do assassinato, que faz o “bem” através de ato pouco convencionais ou mesmo visto com bons olhos.

    Mas poucos conhecem essa sua verdadeira natureza e aqueles q a descobrem raramente vivem muito para contar…

    Zelot em D&D 5.0

  5. Show!

    Essa heroína ainda vai longe!

    Muitas histórias falarão de Zelot, a Sombra dos Medalhões!

Leave a Reply

Theme by Anders Norén