Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Greyhawk, Histórias de Greyhawk

A Lenda de Tamoreus e da Sombra da Morte

Nasceu em 223 CY, aquele que predestinaria o fim da Sombra da Morte, aquele que lideraria os Campeões de Versis.

Nas palavras do próprio Tamoreus:

“Minha vida foi permeada de sinais, presságios e profecias. Muitos passaram a ouvir minhas palavras, afirmando que a própria Istus sussurrava através de meus lábios…”

Parte I – O Começo

Nasci na magnífica Floresta de Celadon, ainda que a contra gosto de meu pai, Baltazar Merica Mão Aleh, somente os altos elfos com seu profundo e avançado conhecimento da medicina, seriam capazes de realizar o difícil parto de Alana Tamoreus Mão Aleh. Esta que havia sonhado com a senhora dos espantalhos, ouviu-a dizer que os meios “convencionais” não permitiria a vinda de seu filho a luz. Foi então que Alana recorreu aos elfos de Demesnes, mais precisamente o Conselho do Carvalho de Esmeralda.

Em 223 Balthazar Tamoreus, mais conhecido pelo seu segundo nome, chegou a Flanaess mais uma vez…

Greyhawk_Tamoreus A Lenda de Tamoreus e da Sombra da Morte

Tamoreus

Tamoreus, filho de um Xeique Baklunish e de uma nobre Oeridian, foi fruto da união entre duas civilizações que nasceram para se odiarem, devido as lendas dos primórdios.

O resultado desta combinação foi um jovem forte, corajoso, saudável e inteligente. Teve sua infância conduzida pelos ensinamentos dos sacerdotes de Istus nas terras Baklunish do Deserto Luminoso, ao sul do Ducado de Urnst. E foi aos 9 anos que Tamoreus prescreveu enquanto dormia a sua primeira previsão. Uma semana depois remexendo anotações de estudos do jovem bakluni, seu tutor Aberain Melquisedec, leu a profecia que viria ocorrer na noite deste mesmo dia.

Após este acontecimento Aberain passou a observar mais atentamente seu pupilo e reportar à Fajá de Istus as pequenas e sutis predições de Tamoreus. Os clérigos da deusa do destino chegaram a conclusão que tamoreus havia sido abençoado por um raro dom entre os membro da ordem – Os Olhos do Destino.

Aos 15 anos Tamoreus conquistou o título de OráculodeParnak. Parnak era o nome do Oásis onde vivia com sua família, e onde logo seria construído uma mesquita em adoração a Deusa. E assim o novo sacerdote passou a oferecer seu dom àqueles que aos olhos de Tamoreus, Istus desejava dizer alguma coisa. Dizem que Tamoreus apesar do posto de sacerdote, jamais havia sido capaz de conjurar os milagres divinos, que outros conseguiam.

Mas uma visão que Tamoreus teve, mudou o rumo de sua vida, O Oráculo previu a chegada de um grande mal a Península de Urnst.

Parte II – O Caos dos 3 Sultanatos

Os 10 anos seguintes, foram marcados por fortes mudanças no Deserto Luminoso. Muitas tribos de salteadores ameaçavam o equilíbrio da região. Dos 3 sultanatos existentes na região, um veio a cair em desgraça. Rumores corriam por toda a região dizendo que uma poderosa entidade havia trazido ao fim do Grande Rei Khan el Khalili, um antigo e poderoso dragão azul, senhor do Sultanato das Esmeraldas.

Com essa queda, uma guerra se instaurou nos 2 outros sultanatos pela posse da região. Já nesta época, Balthazar Merica, que havia se tornado conselheiro do Sultão Arhif Adilhah, liderou as forças contra Domegan Basakeduq, um dos descendentes do Antigo reinado dos Dhajuts, homens escorpiões.

Dizem que este conflito serviu ao propósito de esconder a invocação de uma sinistra entidade no Abbor-Alz, segundo as lendas, esta figura colocaria fim ao conflito do deserto, estabelecendo um domínio de sombras.

Tamoreus, que sabia desse ardil, decidiu partir do deserto rumo, ao Abbor-Alz, ele sentia que deveria impedir a chegada daquela que mais tarde viria ser conhecida como Vyceratull, a Sombra da Morte.

Parte III – Sérpicos

Aproximadamente 7 anos mais tarde, no salão real do Castelo da Liberdade, em Leuksh, a capital do Ducado de Urnst,  reunidos ao redor da mesa de mármore negro, estavam: GrabenLorinar (Duque de Urnst), Ranis, OBelo e Tamoreus.

Lorinar:

– Não é possível Ranis, nós estávamos lá! Destruímos a dragoa, como pode vir me dizer que esta maldita ainda vive?

Tamoreus:

– Vyceratull não pode ser destruída Ranis?

Ranis:

– Não exatamente, meus caros.

Ranis Drospeck… Pouco se sabe a respeito do surgimento desta figura, de onde veio, o que é ou porque lutava com tanto empenho com objetivo de frustrar os planos de Vyceratull. Graben Lorinar até nutria suspeitas em torno da figura que detinha a plena confiança de Tamoreus. Uma coisa era fato, sem a ajuda desta enigmática entidade, os CampeõesdeVersis jamais teriam conhecidos o sábio dragão de prata que organizou os propósitos daqueles que intencionavam destruir a dragoa negra.

Com relação a Ranis, há também um crédito ao qual se deve grande parte do senso de unidade do quinteto formado para destruir Vyceratull: Tamoreus (Líder), Ranis (Conselheiro), RanaGalumba (A Druidisa), Agriás (Mestre Svirfneblin do templo da Lua de Flanaess), Mantarax (Sumo Sacerdote de Semuanya).

Ranis foi o responsável pela criação deste anel, conhecidos como Os Campeões de Versis e também como O Anel de Versis.

Voltando ao diálogo…

Tamoreus:

– Chegamos a conclusão de Vyceratull é eterna Ranis. E isto agora ao custo de muitos os quais ajudaram os Campeões de Versis naquele combate titânico!

Ranis:

– Vyceratull sabia que sua destruição estava próxima, ainda mais devido ao contigente de grandes heróis que estavam ao nosso lado. E por isso ela tinha consciência de que precisava da Relíquia – A Lágrima dos Olhos de Heironeus. A Dragoa conseguiu distribuir as partes de sua poderosa e mágica alma em Sérpicos!

Lorinar:

– Sérpicos?

Tamoreus:

– Repositórios mágicos Duque. Onde fragmentos de uma existência pode ser guardado e a eternidade assegurada. Mas Ranis, não entendo, o que teria a relíquia haver com este propósito, um item sagrado jamais poderia conter a essência maligna, porque então o desejo de obter este item?

Ranis:

– A resposta está diante de você meu caro amigo…

Parte IV – Mão, Olhos e Dedos…

O rei eterno Vecna há muitas eras antes da atual, quando ainda caminhava sobre Flanaess como um mortal, conseguiu vencer a própria morte, dando vida e parte de sua própria consciência a sua Mão Olhos e Dedos. Tal segredo foi escrito em seu livro, famoso pelo título: A Escuridão Perversa.

Tamoreus:

– A relíquia serviria com intuito de oferecer poder profanado, mas falhou?

– Quer dizer então que suas Escamas e uma de suas presas, as quais foram extraídos da dragoa durante sua 1ª derrota, e que nós perdemos durante o conflito do Carvalho de Esmeralda em Celadon…

Ranis:

– Não apenas estes dois itens Tamoreus, uma de suas ovas e seu próprio coração. Vycertull não será definitivamente destruída enquanto tais partes não forem consumidas pelo “Fogo da destruição”. Precisaremos enfrentá-la mais uma vez…

Contudo infelizmente, todos estavam sendo ludibriados pela magnânima inteligência da dragão.

Até mesmo o sagaz Ranis.

Greyhawk_Vyceratul A Lenda de Tamoreus e da Sombra da Morte

Vyceratull, a Sombra da Morte

Quer conhecer mais sobre o cenário de campanha de Greyhawk? Clique Aqui.

A Lenda de Tamoreus e da Sombra da Morte
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 A Lenda de Tamoreus e da Sombra da Morte

Leia Também:

3 Comments

  1. Caramba Toice, me impressiona ler esse resumo resgatado dos confins sabe-se lá de onde. O Lar de Tamoreus foi uma aventura impressionante, feita com esmero e detalhismo que me surpreende folhear seus mapas até hoje. Você me fez uma grandiosa homenagem meu amigo.

    E o melhor disso tudo é que poderei sentir e produzir em você um dejavur do que esta foi. Rathnar está retornando, passados quase 4 anos desde que desbravará essas ruínas e agora busca nas catacumbas do antigo bakluni respostas sobre seu futuro incerto.

    Veremos o que irá suceder…

  2. Muito bacana o texto. Bem misterioso… Gosto desse background que deixa a trama no mistério, fazendo com que o pj venha a descobrir as partes para a grande revelação.
    Show!

  3. Sinto não ter participado destas Aventuras.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén