Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Aventuras em Crivon, Crivon

Ossos do ofício, 1ª parte

Para ver a primeira aventura deste grupo, o resgate de uma nobre sacerdotisa, clique aqui.

Personagens envolvidos:
Astanis Elendil (Adryan Thanar) – alto elfo – mago
Domeracliff – anão da colina – clérigo de Moradin
Lutz (Fiohorn) – humano brigstone – clérigo de Sta Alis
Sigurn BlessShield (Toldekan) – anão da colina – guerreiro

Chegada em Falcon

Uma vez retornado de sua missão no Pântano das Lamúrias, o grupo se dirigiu à casa do Conde Antônio Colbern levando Alexandra consigo. Das muralhas externas até o local da residência dele, o grupo percebeu uma alta movimentação da guarda e o povo andando as pressas para seus lares, uma cidade se recolhendo. Lá chegando foram recepcionados pelo mordomo Alphred, que lhe ofereceu um chá enquanto esperavam a chegada do regente de Falcon. Sem delongas, ele chegou com alguns criados atrás de si, indo rapidamente em direção a sua prometida, ele falou:

“- Moveria céus e terra para garantir a proteção de sua vida e retorno seguro minha querida. Me felicito por sua chegada, mas agora acompanhe meus criados até o aposento que preparei para ti, para que possa repousar adequadamente e cuidar das mazelas do cativeiro e da dura viagem!”

E assim, a sacerdotisa agradeceu seus salvadores, acenou para o conde e partiu com os criados para o descanso.

alexandra-carle-430x600 Ossos do ofício, 1ª parte

A sacerdotisa deixou o grupo.

Ordem de prisão!

Imediatamente o conde voltou-se para Domeracliff, como se apenas ele estivesse no recinto e falou para ele:

“- Parabenizo você pelo sucesso da missão sargento. No entanto, estamos enfrentando problemas graves como deve ter percebido. Um destacamento orc foi visto a alguns quilômetros daqui e enviei 60 soldados para eliminar a ameça, liderados pelo segundo sargento Alfeu Timberdale! Mas o que quero que faça é algo muito importante para um momento como esse, aqui estão as suas ordens!”

Entregando-lhe uma carta, Dom abriu e viu a ordem que dizia para que fosse feita a prisão do conselheiro Alberto Porus, sob a acusação de alta traição. Surpreso pela missão, ele e seus companheiros ouviram do prefeito:

“- Indícios nos levaram a crer sobre a colaboração dele com o Bandoleiro Darun, um guerrilheiro que quer minar nossas forças e trazer o caos a Falcon e a todo o Reino de Almekia. Sua missão será prendê-lo, no entanto se ele oferecer qualquer resistência, será melhor que arranque sua cabeça, pois ele é muito perigoso, tome cuidado com aquele irmão dele, um clérigo de sei lá que deus é. Agora vá!”

Ao que o sargento anão retrucou:

“- Senhor, como sabe acabamos de regressar de uma missão, precisaremos de recursos para encarar uma missão dessa magnitude, solicito que disponibilize clérigos e poções para que possamos nos restabelecer adequadamente.”

01_anao_moradin-1 Ossos do ofício, 1ª parte

Domeracliff solicitou por um descanso para o grupo.

O Conde rapidamente rebateu dizendo:

“- Não. Farei melhor, vocês terão o tempo que precisarem para se prepararem para a missão, enquanto ele não souber dessa ordem não irá a lugar algum, isso lhes dará o tempo para descansarem adequadamente. Mas é claro que a divulgação dessa ordem antes do momento da prisão será considerada alta traição também, cuja punição é a morte!”

Com suas novas ordens, o clérigo anão e sua comitiva se preparam para partir, quando Lutz ouve do prefeito:

“- Clérigo de Santa Alis, sugiro que não se envolva nessa empreitada, retorne para seu templo e ore pelo sucesso de seus amigos!” Ele ainda complementou: “- O prêmio de vocês está sendo separado, em breve o estarei enviado a vocês.”

E assim o grupo saiu da casa do prefeito rumo a casa de Dom. No entanto o anão por algum motivo, pensou Astanis, não alertou ao Conde sobre a solicitação que recebeu do Vigilante Solitário.

Decidindo um plano

Na casa de Domeracliff, na companhia de Astanis, Lutz e Sigurn, percebendo a presença de um dos filhos do anão, se contiveram, quando Dom enviou-o com uma moeda de ouro para encontrar sua esposa na feira da cidade, o grupo então começou a elucubrar sobre o que estava acontecendo e que medidas tomariam para concretizar o plano.

Durante o processo eles analisaram sobre quem iriam prender e a estranha solicitação para que o mesmo fosse eliminado, o que levou a desconfiança dos presentes. Eles sabiam que Alberto Porus era um próspero mercador de mercenários, dono da companhia conhecida como a Guarda de Cobre, conhecida assim pelo pagamento em peças desse tipo que era dado desde sua fundação a mais de 30 anos pelo pai de Alberto, um homem conhecido como Adalberto Porus, que na liderança da pequena companhia do pai, a expandiu após sua aposentadoria de uma vida de aventuras, tornando-a uma próspera companhia com 120 mercenários, que cuidam da segurança de vendas, agem como guardas costas e escolta de caravanas entre Falcon e outras cidades do entorno.

Durante esse processo, a recompensa pelo resgate de Alexandra foi entregue na casa de Dom e lhe foi informado que estaria em folga de 48 horas, que repassou os trabalhos da repartição para Astanis, enquanto continuaram a discutir.

Para Domeracliff, a melhor medida seria encarar o desafio de frente, indo até a residência, identificando: sua posição na Lei e missão que o estava levando ao local, derrotando qualquer resistência que se opusesse a ela.

Para Sigurn estava clara a obscuridade do comando dado pelo Conde Antônio, devendo ser levada a questão aos magistrados do Tribunal, ideia sustentada também por Lutz. No entanto Dom alertou o patrício que caso a informação vazasse, todos seriam considerados alto traidores e condenados. O que fez o anão guerreiro titubear em seu ponto de vista.

Após muito discutirem sobre como abordariam a residência de um homem, que segundo alguns dos presentes, poderia ter um grande contingente de guarda-costas no interior de sua casa o que dificultaria chegarem até o alvo sem passarem por um grande conflito, que pode inclusive resultar na fuga do mesmo, o grupo passou a ouvir a ideia de Astanis, que propôs se infiltrar na residência de Alberto para discutir uma possível contratação de mercenários para uma missão, com esse disfarce poderia adentrar o local, verificar o espaço, número de oponentes e sua força, para assim terem uma ideia concreta do que viriam a enfrentar, caso fosse preciso enfrentar uma resistência.

Sua ideia foi apoiada de pronto por Lutz que conseguiu, com a ajuda do elfo, convencer a todos. No entanto ele teria de seguir com esse plano sozinho, uma vez que os anões e o clérigo de Santa Alis poderiam ser facilmente identificados pelos homens de Porus o que estragaria o disfarce. Astanis, sentindo um leve desconforto por ter de enfrentar tamanho desafio sozinho, ainda assim tornou-se determinado a seguir o plano, uma vez que para eles não haveria outra alternativa, fazendo-o assim que amanhecesse.

Neste instante, a esposa de Dom chegou ao recinto na companhia de seus filhos, com um toque na porta que identificou sua chegada. O grupo parou a discussão e entre afabilidades entre todos os presentes, principalmente com Sigurn, o grupo se preparou para jantarem.

Lutz partiu antes do jantar, para encontrar-se com seu mestre e saber mais sobre a missão que o prefeito lhe aconselhou não participar.

Astanis, optou por passar a noite na Estalagem & Taverna a Besta de Cleer, onde teve um encontro com o proprietário que será descrito em tópico especial a seguir.

Sigurn dirigiu-se para o Pavilhão da Guarda de Falcon, onde possui um leito e armário para guardar suas coisas, lá ele descobriu através de um de seus colegas, que estava de folga por 48 horas.

O impedimento do clérigo da valentia

Lá chegando, Lutz foi recepcionado por seus três colegas, os acólitos Ruan, Brandon e Laurinda que o felicitaram pelo retorno seguro.

Chegando ao gabinete de Frei Nero Blant, ele se deparou como uma nova figura. Um jovem senhora de cabelos loiros, com mechas prateadas, olhos azuis, porte altivo, portando uma capa e capuz pretos, por baixo um vestido amarelo com detalhes em azul, ao que Nero a apresentou como sendo Lady Sandra Soleine, conselheira de Falcon, cuja especialidade era mágica e artes místicas.

7982a-nero2bblant Ossos do ofício, 1ª parte

Nero Blant, líder dos clérigos de Sta. Alis.

A mulher, de atitudes polidas e voz suave, felicitou o clérigo pelo retorno triunfante e falou sobre as descobertas em conjunto que levaram a copiar o mapa do escudo para um papiro, destacando que a elaboração do mapa havia sido uma aliança entre anões e três arcanos de grande poder, sendo que a parte principal do mapa, só poderia ser desvendada numa noite de lua cheia, cuja mais próxima seria daqui a dois dias, entregando-lhe o mapa no papiro. Ainda acrescentou que o mapa levaria a uma missão perigosa ao sul do Reinado, quase em suas fronteiras, nas proximidades do decadente reino anão na Fenda e que por trás de toda essa proteção poderia residir um tesouro importante ou uma grande ameaça, mas o fato é que era importante que alguém desvendasse o que se tratava.

4acc6-sandra2bsoleine Ossos do ofício, 1ª parte

Sandra Soleine

Quando convidada por Lutz a integrar uma possível missão a esse local desconhecido, alegou que devida a idade e sua atual posição na política de Falcon, não poderia ir a uma aventura como essa.

O Frei, retirando-lhe o mapa das mãos informou que oraria e refletiria se o permitiria partir  ou não e o despachou para ir ao encontro de seus colegas acólitos para o jantar e para que informasse seu relatório da missão. Sandra se despediu, informando que retornaria para discutirem outro assunto no dia seguinte.

Durante o jantar, todos brindaram a Sta Alis e ao retorno seguro e vitória do acólito Lutz, cada um dos presentes, que disseram palavras de incentivo e apoio, levando o colega a acreditar que Alis o havia protegido com sua benção e que sua participação havia santificado a missão. Lutz ficou muito feliz com o apoio de seus colegas e mentor e reflexivo quanto a participação de sua deusa nessa missão.

Frei Nero Blant, solicitou que todos os deixassem para que ele pegasse o relatório do acólito sobre a missão, ordem que fora acatada. Sendo assim, Lutz informou sobre todo o ocorrido na missão, incluindo os detalhes da mesma. Ao final, ele falou sobre a nova missão que se apresentou a ele, dada pelo Conde que o desaconselhou a ir em auxílio aos aliados.

Após uma breve ponderação, Nero concordou com o conselho de Antônio, informou que como cada um dos 5 clericatos da cidade, que tinha obras sociais, tinha participação no Grande Conselho de Falcon, não seria bom que um de seus acólitos tivesse participação na captura de um membro do mesmo, proibindo a participação direta de Lutz na missão.

Para ver a continuação, clique aqui.

Criação e elaboração: Patrick, Aharon Freitas, Bruno Freitas e Brunos Santos,
Fontes de imagens: internet
Fonte da imagem da capa do artigo: autoria de Shin

Ossos do ofício, 1ª parte
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 Ossos do ofício, 1ª parte

Leia Também:

2 Comments

  1. Muito bom o resumo Patrick!
    Bem detalhado e cheio de riqueza.
    No aguardo do próximo.

  2. Ler o que foi vivido pelos iniciantes heróis é quase como jogar novamente!

    Muito bom Patrino, melhor ainda é ler sobre passagens as quais Dom estava ausente. Entendendo assim o perfil de alguns NPCs e Pjs.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén