Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Arzien, Histórias de Arzien

A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

A história da Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak foi revelada por Sâmira Olhos-de-Esmeralda a medida que os heróis do Grupo 2 se aproximavam das ruínas dessa antiga cidade.

Para saber os detalhes dessa aventura, acesse o resumo da Sessão Online 6.

História

Luckendor foi fundada a mais de 2000 anos atrás, sob o nome de Mentapsah, uma cidade escravocrata pertencente a Al-Najarst. Ela era um “Oásis dos Deuses”, um local onde as areais da morte de Myd-Arventhor ainda não haviam tragado. Em locais como esse a vida pode se desenvolver, ao contrário de qualquer outra região nesse deserto onde era impossível plantar algum alimento ou extrair água.

Arzien_Luckendor A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

Luckendor, o Oasis dos Deuses de Myd-Arventhor

O Olho-de-Fogo, era um lendário medalhão mágico que se tornou símbolo de poder e dominação nas Terras Desérticas de Alkemor. Diversos povos e tribos alkemorianas acreditavam que ele veio diretamente do Talzûn e seu usuário seria um escolhido para governar os homens de todos os desertos.Os habitantes de Luckendor viviam em um regime fechado, dominado pelo medo e servidão. Tumérios, astanígeos, nelípcios, povos estrangeiros além de raças humanóides poderiam ser encontrados como escravos. Sempre foi assim, durante séculos de história. Até o surgimento de um herói que mudou completamente o destino da cidade depois de 1800 anos: Haran-Pharak, O Portador do Olho-de-Fogo.

O medalhão durante séculos havia passado por diversas mãos antes de chegar até Haran-Pharak. Um dos últimos usuários foi o Vizir Essafah, de Al-Kardif, que queria controlar o governo do reino usando a influência do medalhão para fortalecer o exército com novos guerreiros que jurariam lealdade ao portador do medalhão. Durante esses anos os reinos de Al-Tirân e Al-Kardif estavam em conflito, e o senhor de Al-Tirân soube da presença do medalhão no reino inimigo. Não demorou muito para que o medalhão chegassem as mãos do Sultão Ashad Hamek que governava Al-Tirân com mãos de ferro. Em 413 VII Prd o Vizir Essafah é assassinado e o Olho-de-Fogo muda de mãos mais uma vez.

Durante muitos anos o Sultão Ashad Hamek foi o portador dessa relíquia. Conhecido pela sua crueldade, o Sultão queimava as pessoas vivas, dizendo ser enviado vivo de Yazlan, O Eterno para purificar a alma dos homens. Ele inflamou guerras e conflitos entre os reinos, sem pouco se importar com o seu povo. Um dos motivos por Al-Tirân ter se afundado e hoje ser uma nação pobre se devem a essas batalhas malsucedidas. Se não fosse um homem de fé chamado Haran-Pharak, o destino de milhares estaria comprometido.

Sultao-Ashad-Hamek A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

O cruel Sultão Ashad Hamek queimava as pessoas vivas em nome de Yazlan.

Haran-Pharak derrotou o Sultão Ashad Hamek e 422 VII Prd e tomou o medalhão para si. Na época ele sabia que aquele item lendário era cobiçado por muitos lordes e sultões malignos, mesmo assim resolveu usa-lo para o bem em diversas cidades escravistas.

Depois que Haran-Pharak livrou Al-Tirân da tirania de Ashad ele iniciou uma jornada por diversas cidades alkemorianas para acabar com a escravidão. Durante anos o famoso o Portador do Olho-de-Fogo trouxe paz e esperança para diversos povos oprimidos. Ele se tornou uma lenda viva e ajudava a todos por onde passava. Mas, nenhuma cidade se tornaria tão emblemática quanto Luckendor, sua cidade-natal.

Em 424 VII Prd Haran-Pharak regressou para Luckendor, a sua cidade natal. Ele juntou diversos seguidores, guerreiros fiéis e liderou uma rebelião que culminou na queda dos senhores escravocratas da cidade. Depois disso, pela primeira vez na história, Luckendor se tornou uma cidade livre, onde o sumo-sacerdote governava sob os desígnios de 3 Deuses.

Haran-Pharak criou o Culto dos Três Círculos, uma seita de adoradores e defensores de Luckendor que cultuam a tríade Anzurf, Surya e Valumbar. Ele fez isso para manter uma forte aliança entre as igrejas dessas três divindades e para atrair fiéis para a nova cidade de Luckendor.

Haran-Pharak A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

Haran-Pharak, o Portador do Olho-de-Fogo

Luckendor prosperou. Passaram-se décadas e Luckendor cresceu muito devido a lenda que cercava a cidade. A cidade, que era um verdadeiro oásis em Myd-Arventhor, floresceu como nunca antes na história. Atraiu comerciantes, viajantes, trabalhadores e homens de fé de todos os 4 cantos. A notícia de que existia uma cidade livre de escravidão e maldade atraiu milhares de peregrinos. O governo da cidade era uma Teocracia em volta de Haran-Pharak e Os Três Círculos. Diziam que Luckendor era abençoada pelos Três Deuses e aqueles que os cultuassem teriam uma vida longa e próspera, tanto no mundo dos vivos quanto dos mortos.

Durante 40 anos a cidade de Luckendor foi alvo de bandidos, monstros e outros perigos, mas sempre foi protegida pelo sumo-sacerdote e o Culto dos Três Círculos. Até que certo dia um exército perigoso marchou centenas de quilômetros para saquear e tomar a cidade. Esse exército invasor era de Tharkesh, conhecidos por serem seguidores fanáticos de Sviluss, O Deus Serpente. Em termos militares eles eram superiores em todos os sentidos. Não demoraria muito para a cidade ser tomada.

Tharkesh A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

Exercito de Tharkesh, seguidores fanáticos de Sviluss, o Deus Serpente.

O sumo-sacerdote, que temia que isso algum dia acontecesse, havia criado um plano muitos anos antes. Antes da desgraça se abater sobre Luckendor, Haran-Pharak, que já estava velho e cansado, ordenou aos seus asseclas que embalsamassem seu corpo, assim como dos demais clérigos e os colocassem dentro de uma tumba criada a muitos anos atrás. Para que o medalhão não caísse em mãos erradas, a Tumba foi selada por poderosas magias e rituais. O bastão de Haran-Pharak foi levado para longe de Luckendor, bem como antigos pergaminhos e tomos. Seus asseclas protegeram seu legado e suas lembranças como puderam, mesmo durante a invasão tharkeshiana.

Luckendor sucumbiu após a morte de Haran-Pharak, em 464 VII Prd. O exército de Tharkesh saqueou tudo, destruindo construções, estátuas, casas e templos do Culto dos Três Círculos, matando as pessoas que estavam dispostas a morrer em nome de Haran-Pharak.

Os homens de Tharkesh eram fanáticos por Sviluss e entre suas fileiras existiam um grupo de Yuan-Tis malignos, que coordenavam todos os ataques e invasões. Esses Yuan-Tis queriam o Olho-de-Fogo a qualquer custo.

Entretanto, os senhores de Tharkesh jamais encontraram o medalhão, que se perdeu no tempo. A cidade foi abandonada, os sobreviventes levados escravos. O local ficou conhecido como uma cidade fantasma, onde aqueles que lá morreram escolheram a liberdade ao invés da escravidão. Dizem que essas almas foram levadas para o paraíso ao lado de seus senhores.

Os clérigos dos Três Círculos criaram falsas pistas, ofuscando o verdadeiro rastro do Olho-de-Fogo. Isso protegeu a relíquia durante séculos após a morte de Haran-Pharak e queda de Luckendor. Muitos rumores e histórias diziam que Haran-Pharak ainda estava vivo, vagando pelo deserto, bem distante de Luckendor. Outros boatos diziam que o Sumo-Sacerdote escondeu o medalhão em locais variados, todos distantes de forças malignas.

Depois disso Luckendor nunca mais voltou a ser o que era. Entrou em colapso em todos os sentidos e se tornou um antro de monstros e bandidos. Os tesouros e outros documentos históricos importantes também se perderam nas areias do tempo.

Porém, a a Tumba e o Olho-de-Fogo jamais foram encontrados.

Dizem as lendas que os 3 Deuses os protegiam.

O Segredo de Haran-Pharak estava seguro.

Até então.

Sobre a Garota Sâmira

Sâmira Olhos-de-Esmeralda é uma jovem garota al-ghumbakiana com 12 anos de idade que foi criada pelas sacerdotisas de Surya na cidade de Zukh-Mosir, às margens do Rio dos Deuses, ao sul de Azelust, a capital de Al-Ghumbak.

A garota é uma das 3 chaves capaz de abrir a Tumba de Haran-Pharak, local onde se esconde o Medalhão do Poder, que é conhecido em Alkemor como o Olho-de-Fogo. Ela é uma chave-viva cujo nascimento e futuro já estava pré-destinado, já estava “escrito”, conforme dizem as suryanas. Segundo as lendas, a garota encontraria estrangeiros que a salvariam das garras do mal e a levariam as Ruínas de Luckendor, o seu destino final.

Sâmira foi resgatada pelos heróis das garras do Alfatir Kethjaris na aventura Morte na Floresta das Estacas.

A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 A Lenda de Luckendor e de Haran-Pharak

Leia Também:

4 Comments

  1. Muito legal esse conto. Mas acho que esta faltando algum texto, talvez tenha esquecido, pois não consegui perceber a relação nesta estória com o aparecimento de uma garota com olhos de esmeralda. Poderia me explicar ou evidenciar isso?

  2. Fala meu velho, que bom que gostou do conto.

    Você esta certo. Esse texto não explica quem seria a garota com olhos-de-esmeralda. Vou adicionar um trecho que explica isso melhor.

    Mas basicamente essa garota é Sâmira Olhos-de-Esmeralda, uma jovem garota com 12 anos de idade que foi criada pelas sacerdotisas de Surya, a Deusa do Conhecimento, Profecia, Mistérios e da Noite. Ela é uma das 3 chaves capaz de abrir a Tumba de Haran-Pharak, local onde se esconde o Medalhão do Poder, que é conhecido em Alkemor como o Olho-de-Fogo. A garota é uma chave-viva cujo nascimento e futuro ja estava pre-destinado, ja estava escrito. Segundo as lendas, ela encontraria estrangeiros que a salvariam das garras do mal e a levariam as Ruinas de Luckendor. Esses estrangeiros seriam seus guardiões e a levariam ao seu destino final.

    O medalhão é o item que os heróis estão atras. Eles fazem parte de um conjunto conhecido como Os Medalhões de Krynplastor.

  3. Show de bola! Está tudo encaixado. Muito bom DM Bruno.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén