Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Aventuras em Crivon, Crivon

Caindo numa ratoeira, parte 2

Para ver o capítulo anterior, clique aqui.

Personagens envolvidos:
Astanis Elendil (Adryan Thanar) – elfo dourado – mago
Domeracliff – anão da colina – clérigo de Moradin
Lutz (Fiohorn) – humano brigstone – clérigo de Sta Alis
Sigurn BlessShield (Toldekan) – anão da colina – guerreiro

Encontrando Dan

Seguindo adiante, eles chegaram numa câmara de escoamento de água, que segundo Clan, a passagem servia como sorvedouro, nela conseguiram evitar a sucção da água, mas enquanto seguiam rente as paredes dessa galeria, Dom que ia a frente, foi atacado pelo rato atroz que fugira anteriormente, matando a criatura. Suspeitando que precisariam de muita cautela para chegarem a uma plataforma do outro lado da sala, Dom se amarrou a uma corda e partiu, sendo segurado por Sigurn e Lutz.

crivon-claudius-alphos-clan Caindo numa ratoeira, parte 2

Clan

A forte pressão das águas, o intrépido anão conseguiu chegar ao outro lado, no entanto se viu frente a frente com um rato atroz tão sinistro quanto o líder que haviam enfrentado no combate anterior, todavia com um golpe de grande maestria decapitou a criatura, que lentamente se transformou num homem franzino. Com o caminho livre eles chegaram a um alçapão e desceram para um nível inferior das galerias.

sessao-17-02-15-III Caindo numa ratoeira, parte 2

Cena de combate2: grupo passa pelos sorvedouros d’água – Fonte: roll20.net

“Cinthia e Rogar caminhavam a ermo dentro das galerias, na esperança de serem achados por algum destacamento de busca, somente iluminados por uma moeda com uma mistica iluminação. Cinthia virou-se para Rogar e disse:

– Você falava com desdém do presente de Sandra, veja agora como ele está sendo útil!

Ao que ele respondeu com aparente calma:

– Muito bem, você tem razão, agora vam..

Foi interrompido por uma figura feminina trajada em vestes de plebeia, uma mulher maltrapilha, com cabelos desgrenhados, de feições finas, nariz alongado disse-lhes:

– Mestres, mestres, venham comigo, vim para ajudar. Sigam-me!

Rogar, lançando um olhar de desconfiando e desprezo à mulher, virou-se para a conselheira e disse:

– Não iremos a lugar algum com essa mulher! Vamos Cinthia! Não dê ouvidos a ela, continuemos.

Contudo a aparente camponesa, começou a se transformar num monstro, metade mulher e metade rato, lhes disse com uma voz mais potente que a anteior:

– Mestres, vocês tem duas opções, ou me seguem por bem ou por mal!

Cinthia, que ficou paralisada de medo olhou para Rogar que tentando não se mostrar intimidado, mas estava, disse olhando para a assustada colega:

– Bem, não tendo escolha, iremos por bem!”

crivon-mulher-rato-licantropa-Woody-Female-Rogue-600x453 Caindo numa ratoeira, parte 2

A estranha mulher se transformou num hibrido de rato e mulher. By Woody, 2008.

Chegando no novo nível, o grupo ouviu um grito de horror. Decididos a averiguar o corredor lateral ao deles para ver o que estava acontecendo, eles se depararam com um poderoso rato atroz que estava sacudindo Dan com sua bocarra e o arremessou contra a parede, puxando dele o que parecia ser a chave que eles procuravam.

Percebendo que a quantidade de adversários era grande a criatura fugiu por uma passagem no alto de aproximadamente 50 cm de espessura de diâmetro, mesmo assim foi atingida por Sigurn na fuga. O guerreiro examinou a alta e estreita passagem para ver a possibilidade de seguir a criatura, mas seria necessário se desfazer da armadura para segui-la, algo que ele não queria ariscar, o grupo ouviu de Clan, que tentava tratar Dan juntamente com Lutz, que deveria haver uma interseção mais a frente, pois esse tipo de passagem originalmente não iria muito longe.

Percebendo que além do desacordado conselheiro, também haviam mais duas pessoas (uma homem e uma mulher), acorrentadas e segunda a percepção dos acólitos Lutz e Sigurn, extremamente debilitadas, com indícios de desidratação e inanição, o grupo tentou tratá-las como pode, para melhorar a situação delas, mas ficou num impasse entre libertá-las ou mantê-las ali, pois o clérigo de St. Alis detectou sinais de mordida neles e alertou para o fato de que poderiam se voltar contra eles, tornando-se ratos atrozes.

Seguindo a orientação de Lutz, o grupo decidiu deixar aqueles vítimas ali, para resgatá-las posteriormente, após terem a certeza de obterem um caminho livre para a saída. O clérigo humano curou levemente Dan, que despertou e falou sobre sua trajetória até aquele ponto, após perder sua moeda de luz contínua e sobre o fato estranho de ter encontrado a chave de Mardan naquele lugar. Perguntado se estava em condições de caminhar, o mesmo respondeu que sim, apesar da dor no braço ocasionada pela mordida do rato.

O grupo ao retornar para o corredor principal, onde sentiram uma correnteza forte e onde a água chegava a 80 cm do chão, Dom e Sigurn viram a criatura ferida, com a chave, que procuravam saindo de um túnel mais a frente.

O rato, percebendo que havia sido visto, retornou. Sem opções, os anões decidiram seguir atrás da criatura e se depararam com um novo redemoinho do qual tiveram dificuldades em transpassar, no entanto dada a engenhosidade deles, que se amarraram ao outro, fazendo-se de âncoras devida a estabilidade anana, acabaram conseguindo atravessar.

Enquanto isso, Astanis e Lutz tiveram que lidar com um rato atroz poderoso e uma estranha figura em forma de um híbrido de mulher e rato que ameaçava atacá-los dizendo:

“- Nós ratos, somos muitos”

Então ao emitir um grito, parecia que estava convocando reforços. Elendil utilizou uma magia que aumentou o tamanho e poder de combate de Lutz contra o rato, nesse momento Dom e Sigurn, que ouviram os sons de combate e alerta de seus aliados, que tentavam dar conta da demanda e proteger Dan e Clan, conseguiram retornar para ajudá-los, mas foram seguidos por mais dois ratos que estavam na galeria que pretendiam investigar.

Um luta ocorreu e eles venceram, mas a mulher rato, percebendo a grande força dos adversários, fugiu descendo…

sessao-17-02-15-IV Caindo numa ratoeira, parte 2

Cena de combate 3: o grupo X ratos atrozes e mulher rato – Fonte roll20.net

Uma vez reagrupados, eles tiveram a ideia de descer para o nível seguinte, colocando mais uma vez Dantas e Claudius sob os cuidados de Lutz e Astanis.

Durante a descida, na qual, Lutz retornou ao tamanho normal, o acólito de St Alis e o arcano Elendil, sentiram um forte mau estar que os enfraqueceu, percebendo que a se equiparavam em condições e sintomas a Dan (febre, fraquesa, palidez, dor de cabeça), decidiram ficar na retaguarda, enquanto os saudáveis ananos seguiram na vanguarda. Intrigado com a quantidade de ratos e a frequência com que apareciam, durante a passagem, Dom se questionou:

“ – Sigurn, estou sismado com esse ratos, parece que estão nos espionando!”

Sua característica anana de desconfiar estava certa, e se revalaria a seguir.

Para ver a continuação, clique aqui.

Criação e elaboração: Patrick, Aharon Freitas, Bruno Freitas e Brunos Santos,
Fontes de imagens: internet
Fonte da imagem da capa do artigo: autoria de Shin

Caindo numa ratoeira, parte 2
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 Caindo numa ratoeira, parte 2

Leia Também:

1 Comment

  1. O que será que nos aguarda escadas abaixo?
    Certamente, mais ratos.

    Aventura clima de dungeon, a primeira do grupo. O Roll20 provando ser uma excelente ferramenta nesse tipo de ambiente. Dinâmico e ágil, uma vez dominada as ferramentas dessa plataforma e com a aventura planejada com antecedência, a aventura flui como água…

Leave a Reply

Theme by Anders Norén