Enquanto cavalgava pelo Abbor-Alz, Rathnar Selfanar se recordava a todo momento de seu passado e suas aventuras. Depois de ter perdido a vida em uma batalha contra uma poderosa criatura extraplanar em Antecer,  o Campeão de Corellon estava de volta, após dois longos anos vagando pelo Plano dos Mortos. Agora, o elfo busca reunir forças para combater o crescente mal em Celadon e Reinos vizinhos.

Segue abaixo um resumo da aventura “A Orquídea Negra”. Essa aventura é uma continuação da “A Sinistra Enfermidade”. Os textos originais fazem parte de trechos recuperados do extinto Orkut.

Prelúdio da aventura “A Orquídea Negra”

A história do Lar de Tamoreus nasceu do rapto de Rafaella Divanus e, por conseguinte descoberta de um plano oculto para trazer uma legendária besta de volta a vida, que fez os mesmo aventureiros ficarem preocupados e ao mesmo tempo interessados em descobrir a trama, se tornando a partir de então, parte da história que agora ameaça a paz no Ducado de Urnst.

Desde então a seqüência histórica foi:

·       O rapto de Rafaella Divanus e desaparecimento da “Lágrima dos Olhos de Heironeous”;
·       A Fera Sombria
·       A Sinistra Enfermidade
·       Empreitada no Cume Selado: Abbor-Alz – A Orquídea Negra

Decididos a ajudar a Druidisa Rana Galumba, Rathnar, David, Lilack, Riore, Kallin e o mais novo membro Eladrian, seguiram rumo a cordilheira do Abbor-Alz com intuito de encontrar aquilo que poderia curar a estranha enfermidade de Rana.

Ainda que abalado Willian Thomes, decidiu ajudar os aventureiros com informações que pudesse facilitar a obtenção da planta. O veterano rastreador queria a Druidisa longe. Aparentemente este homem nutre uma raiva para com Rana Galumba, por ter deixado seu lar e seu filho optando pela proteção da Floresta. (Ao menos fora isto que facilmente pôde ser percebido), durante uma breve discussão ocorrida entre Willian e Arinus, seu filho, fruto de um antigo amor entre Willian e Rana.

O fato é que Willian ainda é aparentemente um homem piedoso e bom. E a contra gosto aceitou que Rana Galumba permanecesse em sua casa enquanto enferma. Para os aventureiros o Ranger disse que havia uma pessoa que poderia ajudá-los, uma figura chamada Agriás, dito por Willian se tratar de um Svirneblin (uma raça de gnomos dos subterrâneos) que poderia ajudá-los, mas do que ele.

E foi com esta referência que os aventureiros rumaram em direção a cordilheira de montanhas…

O Abbor-Alz – parte 1

Nunca antes os aventureiros sentiram tanto o peso de seus equipamentos em uma jornada e aqueles que perceberam ser um fardo, decidiram deixá-los para trás, às suas cordas, arpeis, vestuários, e outras coisas consideradas inúteis ao prosseguimento da escalada.

Escalada esta que em trechos perigosos, arrastou alguns metros abaixo alguns membros “desequilibrados” e os fizeram ganhar cortes e arranhões nas pedras malvadas do início da jornada.

Em um grande Cânion existente numa região dita por Lilack fazer parte do caminho dos heróis, os aventureiros depararam com belas vistas de um extenso rio branco e vales profundos singrados na montanha em questão.

E foi num cenário assim que se depararam com a incomum figura de um gnomo de pele cinzenta e careca, que se apresentou curiosamente a eles como Agriás. Um svirfneblin, um ser misterioso e incomum aos aventureiros. Fato é que Agriás os ajudou, mediante algumas perguntas e poucos esclarecimentos. Sua Móglia (casa em idioma gnomo) havia sido dominada por monstros estranhos e que perturbaram a paz procurada pelo gnomo para viver seus dias tranquilos de meditação e apreciação.

A Móglia revelou aos aventureiros tratar-se de um reduto de famílias de Duergars (anões com aspectos malignos e caóticos), e também monstros estranhos, tais como um Constritor, Ratazanas ferozes, um hostil e ardil Cubo Gelatinoso que apreendeu David em uma armadilha que quase te custou a morte.

Mas os aventureiros venceram. Obtiveram além das Orquídeas Negras, um Vaso mágico, que foi capaz de curar os ferimentos parcialmente de cada membro da perigosa jornada. Este vaso em especial feito de platina e gemas preciosas, foi um item que segundo os aventureiros souberam o gnomo desejava re-adquirir. No entanto tratava-se apenas de um teste proposto pelo gnomo para saber se aquele grupo era nobre o suficiente para saber o segredo a respeito da Chave de Pedra, até então uma chave de Ouro.

Greyhawk_A-Orquídea A Orquídea Negra

A Orquídea Negra

O Abbor-Alz – parte 2

Não era uma Chave de Ouro. O 1º dos segredos de Tamoreus, era uma chave mascarada a ambição daqueles que só desejam tesouros. O mais importante estava em seu interior – Uma genuína chave de Pedra com anéis de Adamantita. A 100 anos atrás aproximadamente, Tamoreus desejou que seu amigo Agriás confecciona-se uma chave que guardaria seu túmulo eterno e o Agriás um talentoso forjador a fez, imbuída do segredo pedido pelo Eldrich Knight (como viriam saber mais tarde o que Tamoreus foi).

O vaso foi dado aos aventureiros como recompensa pelo curso dos atos deste grupo de heróis.

Os aventureiros seguiam agora mais uma vez Abbor-Alz abaixo em direção ao Lugarejo de Durone, onde entregariam as pétalas da Orquídea Negra a Willian e este faria o chá que curaria os males de Rana Galumba.

E foi assim que ocorreu, após a infusão ser preparada, A druida estava mais pronta para os novos desafios..

Um Destino, dois Grupos

Após missão no Abbor-Alz, os aventureiros se reúnem na Aldeia de Durone, e esperam os resultados do remédio preparado pelo Ranger Willian, com as misteriosas Orquídeas negras, uma flor de beleza rara, que seria ministrado em Rana Galumba.

Sua recuperação vem quase como um despertar. E após recuperação, o grupo se reúne com os membros adicionais: Rana Galumba, William Tomes e Arinos Tomes; para definição do que será feito a partir de agora.

Rana Galumba revela a necessidade de o grupo seguir para o Lar de Tamoreus, e descobrir a mensagem secreta deixada pelo antigo Falrinth, líder de um grupo esquecido a três séculos passados.

O grupo quase se divide, no entanto através de muitas analises e avaliações, além dos conselhos experientes da druidisa Rana Galumba, o grupo formado por: Eladrian, David, Rathnar, Riore, Kalin e Hadauck, decidem ir para a cidade de Pontyrel, enquanto que Rana Galumba, William e Arinos Tomes, seguem para a Floresta de Celadon juntamente com a halfling Lilack, Folhas Silvestres.

Soube-se que em meio a floresta a insurreição da corruptora Calista, e um tempo de riscos permeia a aura da floresta, duas comunidades élficas se encontram sobre a ameaça da aproximação da Druidisa decadente e mais dois aliados, dentre eles um Gnoll e um jovem Dragão Verde. O que se passa em Celadon agora, os aventureiros, não sabem, mas também não tiveram muito tempo para se preocupar em deduzir.

Em Pontyrel uma Infestação de ratos alastrou a febre dos esgotos e mais da metade da população sofreu com a doença transmitida pelos ratos oriundos da chuva que abateu a cidade e com o acumulo de água os esgotos não sustentaram as sujeiras e a podridão produzida pelo povo.

A notícia da morte de seu filho abateu a Marcos Otreth como uma verdadeira praga, e este abalado com a perda de seu jovem filho ficou em uma situação insustentável. Hadauck e Kalin se dispuseram a ajudá-lo e assim poder deixá-lo sentir a dor de um filho tão amado.

Rana Galuma, Tamoreus, Agriás e +2

Há muito tempo atrás, aproximadamente 300 anos, quando longe do ducado de Urnst um importante evento ocorria – A independência do Vice-reinado de Ferrond do Grande Reino. Um grupo de heróis e aliados se uniram para combater um antigo e poderoso mal – Vycertaull a besta inominável!

“Um dragão foi derrotado e seus intentos e planos frustrados por um poderoso grupo de heróis. Mas um grande custo veio mediante essa vitória. Somente um membro sobreviveu ao conflito – Tamoreus. Aquele que carregou para seu túmulo os segredos da profecia do “Enviado dos deuses, a Fera Enegrecida, a encarnação da destruição…”

Tamoreus sabia que não viveria para combater o dragão mais uma vez e ciente disto, trouxe um seleto membro de aliados de volta a vida, cada um de uma forma estranha e particular. Rana Galumba declarante como uma das que participaram do conflito e retornou, havia sido reencarnada, assim ela mesmo disse que seria, no entanto, ainda assim, uma geração ainda seria muito para sua longevidade humana de 100 aproximadamente. Como ela vive estes outros 100 anos de sua existência atual?

Segredos, mistérios, enigmas, esta foi a forma que Tamoreus encontrou de preservar o destino das coisas que ele lutou para proteger e que agora vive uma expectativa de ameaça novamente.

O Anel Enegrecido, aparentemente um quarteto de membros que idealizam e planejam o retorno de Vyceratull, quem são seus membros, apenas um é conhecido – Calista a Druidisa Corruptora e pupila de Rana, é aparentemente a única que se tem conhecimento.

Os quatro itens da profecia comungada por Tamoreus e Vycertaull: A Armadura de Tamoreus, a Presa de Vyceratull, a Lágrimas dos Olhos de Heironeous e mais um item desconhecido.

Os cinco membros que lideraram o combate contra a Ameaça Enegrecida, que foram? Que se tem conhecimento; Rana Galumba, Agriás, Tamoreus, um Homem Lagarto e +1.

Porque tanto mistérios? Que ameaça existe em sua sapiência?

Só o desbravamento do Lar de Tamoreus explicará…

Greyhawk_Tamoreus-1 A Orquídea Negra

Tamoreus

A Orquídea Negra
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 A Orquídea Negra

Leia Também: