No dia 21/11/2015, das 08:00 as 12:00 ocorreu a 13ª sessão de Arzien via Roll20 com o Grupo 2. A sessão contou com a presença de 100% dos jogadores.

Nesta sessão os heróis enfrentam terríveis e ardilosos inimigos nas catacumbas do Templo de Valumbar.

Essa foi a quinta sessão da aventura “A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª parte: A Águia, a Coruja e a Serpente”.

As Catacumbas do Templo de Valumbar (continuação…)

Zelot, Krusther, Eberk, Sean e Miyu (4 jogadores e 1 NPC) desceram até as catacumbas abaixo do Templo de Valumbar ao lado de Latifa e Sâmira Olhos-de-Esmeralda em busca do Pedestal Negro.

Vlendzer, Cedric e Youssef (todos NPCs) ficaram no templo para garantir que os demais saíssem em segurança das catacumbas.

Cortina de Trevas

Na última sessão, Zelot, Krusther, Eberk, Sean e Miyu (4 jogadores e 1 NPC), retornavam para o inicio das catacumbas, em direção a escada que dava acesso ao Templo de Valumbar.

Assim que se aproximam do salão inicial se deparam com uma verdadeira cortina de trevas. O local  estava coberto por uma escuridão mágica que impedia a transmissão de qualquer tipo de iluminação.

Após investigar de forma furtiva a entrada da sala, a ladra Zelot descobre que os primeiros metros do chão da sala estava coberto por algum tipo de óleo, certamente era alguma armadilha. A ladra pede para que o feiticeiro utilize alguma magia de fogo em direção ao chão, para queimar o óleo. As suspeitas da ladra estavam corretas, após Krusther conjurar uma rajada de flamejante, um forte cheiro de fumaça de óleo queimado é sentida. Se era algum tipo de emboscada, agora seus inimigos já sabiam da presença dos heróis.

Como não havia como dissipar essa magia, o jeito seria cruzar o ambiente em trevas.

Após um tempo decidindo como e quem iria cruzar a sala, Zelot e Sean resolvem adentrar ao local para investigar. Vozes em uma língua sibilante e incompreensível ecoam na sala em trevas. Logo em seguida  inimigos ocultos atacam a dupla.

Os inimigos na escuridão mágica enfraquecem bastante os heróis. A natureza deles era desconhecida. Em dado momento, Sean Kallingard consegue alcançar uma área que não estava coberta pela escuridão mágica, mas ainda com penumbra. Ele consegue matar um dos seus oponentes com sua espada larga e, para  surpresa do grupo, a escuridão mágica é anulada!

Os heróis descobrem que estavam lutando contra os Sentinelas de Valumbar, contudo sem o elmo na forma de Chacal que usavam a todo instante, permitindo que sua verdadeira natureza fosse revelada.

Do total de oito inimigos nesta sala, dois deles tinham aparência completamente bestial, enquanto outros seis lembravam seres humanos.

 Os humanóides com aparência bestial possuem dois braços, duas pernas, tais como um homem comum, porém com uma cabeça de serpente! Seu corpo é musculoso e coberto por escamas esverdeadas acizentadas. Exibem garras afiadas e uma língua bifurcada, que sibila a medida que falam alguma linguagem incompreensível . Seu olhar fendido possui um brilho vermelho malicioso.

151b1-yuan-ti2 A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V

Yuan-ti com cabeça de serpente.

Os humanóides com aparência semelhante a de um humano são esguios e ágeis, dotados de aspectos faciais finos e olhos fendidos. Quando observados de perto, é possível distinguir uma língua bifurcada, presas pontiagudas e sinais de escamas no pescoço e membros.

 

3044c-puro-sangue A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V

Yuan-ti com aparência mais humana.

Ambos os humanóides possuem tatuagens espalhadas pelo corpo, usam armadura de metal e couro, escudo grande de aço e portam espadas de aço curvado, semelhante a uma cimitarra. Esses equipamentos já eram visíveis quando eles ocultavam sua natureza por debaixo do elmo de chacal, como Sentinelas de Valumbar.

e96d0-khopesh A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V
Espadas exóticas usadas pelos oponentes.

Krusther, Miyu e Eberk se recordam imediatamente dos homens-serpentes (ou Yuan-tis) que enfrentaram nas Cavernas Mulich. Naquela ocasião, os heróis estavam atrás de Sâmira Olhos-de-Esmeralda e chegaram as cavernas com a indicação das sacerdotisas de Surya, em Zukh-Mosir. Eles descobriram que a sacerdotisa Nyarsa-ran, a guardião da garota, havia traído seus votos e estava na caverna para entregar a garota aos homens-serpentes. Em troca, a clériga poderia libertar seu pai, que estava aprisionado em uma pedra mágica.

Para saber mais sobre essa aventura, acesse As Sombras de Mulich.

O combate contra os homens-serpentes se mostrou desafiador. Os oponentes tentavam a todo instante se aproveitar do manto de trevas, o que confundiu e dificultou a situação para os heróis. As criaturas tentavam manipular suas mentes com magias e poderes sobrenaturais, porém a vontade dos heróis se mostrou mais forte.

Graças as habilidades combativas de Sean Kallingard, da maestria e agilidade de Zelot, do poder arcano de Krusther Nesmish, da força e cautela do desconfiado Eberk e dos golpes marciais da monja Miyu, o grupo consegue vencer os oponentes após um custoso combate.

Sem perder tempo, o grupo se recompõe e inicia a subida pelas escadas de volta ao Templo de Valumbar.

Onde será que estariam os outros companheiros?

E Sâmira, para onde será que Halaman a levou?

 

4db17-catacumbas A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V

Catacumbas de Valumbar após os heróis derrotarem os homens-serpentes.

 

A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 A Cidade Perdida de Luckendor, 2ª Parte: A Águia, a Coruja e a Serpente, sessão V

Leia Também: