Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Arzien, Aventuras em Arzien

A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final

No dia 10/01/2016 das 14:00 as 20:00 ocorreu a 16ª sessão de Arzien com a participação de 100% dos jogadores do Grupo 1.

Essa foi a Primeira Sessão Presencial desde que começaram os jogos online pelo Roll20, e desde que comecei a contabilizar de forma linear as sessões de jogos em Arzien (clique aqui para conferir).

Nesta sessão os heróis LiamHejaz Thorjan enfrentam um bando de goblins salteadores na Floresta Grishtar após salvarem a pequena garota Juliana.

Essa é a terceira sessão da aventura “A Coroa da Ruína”. Trata-se de uma sidequest da aventura principal.

Leia mais sobre o Grupo 1.

Cruzando a floresta

Depois de obterem informações com a garota Juliana, o trio de heróis segue floresta adentro. Minutos depois, o grupo alcança as imediações de um acampamento onde a garota informa que estaria seu irmão. Os heróis conversam entre si para definir qual seria o melhor plano para invadir o local. Liam decide que utilizaria uma magia de invisibilidade para espionar os inimigos. Porém, devido a curtíssima duração da magia, precisaria agir rapidamente.

Graças a sua visão na escuridão,  Liam consegue chegar ao que parece ser um acampamento com restos de uma fogueira, algumas panelas, toras de madeira espalhadas e uma carroça sem cavalos. Árvores derrubadas e pequenas paliçadas de madeira, que ainda estavam incompletas, denunciam que seus habitantes parecem ter chegado a pouco tempo.

Próximo dali, Liam avista o goblin, que havia fugido no combate na estrada,  saindo detrás de uma árvore, montando um worg. Ele encontra outro goblin, a pé, e conversa algo com ele. O feiticeiro consegue notar que haviam outros goblins nas imediações, escondidos.

Liam retorna e informa a Hejaz e Thorjan que as criaturas estavam armando alguma emboscada contra eles em um pequeno acampamento. O trio se reune novamente e discute qual seria a melhor forma de invadir o local da forma mais eficaz.

A princípio os heróis não chegam a um consenso comum e, antes que pudessem colocar qualquer plano em prática, são surpreendidos por flechas que emergem da escuridão.

Rápidos e traiçoeiros, três goblins disparam flechas e se escondem na mata. Eles haviam descoberto a presença do trio antes que pudessem realizar qualquer investida.

Hejaz tenta proteger a garota, enquanto Liam fica novamente invisível e segue em direção ao acampamento, evitando os ataques. Thorjan consegue matar dois dos goblins, enquanto o terceiro consegue fugir. Agora, o fator surpresa havia se perdido.

Antes de avançar em direção ao acampamento para o eminente combate, Hejaz conjura a palavra de Mylanian para trazer Rarion, um Guardião da Fé, para proteger Juliana. Uma criatura grande feita de luz, fumaça e forças fantasmagóricas, vestindo uma armadura completa e segurando uma grande lança aparece. Hejaz pede para que a garota  segure firme um mangual e que não saísse do lado de Rarion. O clérigo promete que voltaria para pegá-la. Juliana apenas chora e pede para resgatarem seu irmão com vida.

Acampamento goblin

Liam conjura outra magia de invisibilidade aprimorada e ordena para seus amigos seguirem em direção ao acampamento. Assim que chega ao acampamento, o elfo percebe movimentação de goblins e worgs.

Mais próximo do acampamento, Liam consegue avistar três pessoas amarradas e amordaçadas. Uma quarta pessoa, um jovem de seus 18 anos, estava trancafiado dentro de uma gaiola, suspensa em um grosso galho de árvore.

O feiticeiro busca a melhor posição para utilizar suas magias. Acreditando que o worg não o detectaria, Liam se aproxima da criatura montada pelo chefe goblin. Poreém, Liam se surpreende por ver que a criatura consegue farejá-lo e, antes que pudesse reagir, o grande lobo avança ferozmente contra ele, desferindo uma poderosa mordida!

Arzien_Sessao16-4 A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final

Acampamento Goblin. Sim! Foi sessão presencial! Irado, não?

O worg parecia sentir o gosto do elfo na boca, porém sua mordida se fecha no ar, sem sucesso! Apesar conseguir farejar, o worg não enxergava, e isso era uma vantagem para o feiticeiro. Liam se afasta e conjurar um raio de fogo contra o chefe goblin, que fica bem ferido.

Outros goblins avançam ao comando do chefe que, mesmo sem enxergar diretamente o elfo, consegue se comunicar com o worg e ordenar novos ataques.

Mais dois worgs montados por goblins saem de esconderijos na mata para lutarem!

2a152-goblins A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final

O Chefe goblin montando seu worg ordena o ataque. Fonte: Manual dos Monstros, D&D 5 Edição.

Hejaz, com seu martelo mágico, chega iluminando o acampamento ao lado de Thorjan, que brande seu machado de guerra em direção aos goblins! Mas, antes que pudessem agir, ambos são emboscados por duas criaturas enormes e peludas portando maças-estrelas.

O primeiro sai de trás de uma árvore e acerta um poderoso golpe no peito de Thorjan, que recua surpreendido. O segundo salta habilmente de uma árvore adjacente e golpeia fortemente o ombro de Hejaz.

Eram bugbears, e eles não cessariam seus ataques até matarem a todos!

Urthon: “Vou arrancar a sua cabeça anão e pendurá-la em um espeto!”

Talvak: “Deixe esse humano comigo irmão, ele vai desejar não ter nascido!”

Arzien_Bugbear A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final

Dois bugbears surpreendem Thorjan e Hejaz! Fonte: Manual dos Monstros, D&D 5 Edição.

Mesmo sendo criaturas relativamente fracas, o combate exige que os heróis ajam em equipe.

Os dois bugbears oferecem o maior perigo, seguido de três worgs montados por goblins e o chefe goblin, que estava enfurecido por ter fugido do combate anterior, alvo de magias clericais de Hejaz. Cerca de 11 goblins se engajam na luta contra os heróis.

As criaturas não são páreas para as magias de Liam, o machado de Thorjan e para  fé divina de Hejaz. Ao final, a tríade consegue derrotar os adversários.

Três goblins ainda tentam fugir, porém são surpreendidos por flechas disparadas da floresta. Um deles morre e os outros dois conseguem fugir. Uma bela elfa da floresta de cabelos negros, lisos, pele bronzeada, usando uma armadura de couro e portando um arco longo se aproxima de Liam, enquanto outros vultos na penumbra perseguem os dois goblins que correram para a floresta.

Libertando os reféns

Com o combate finalizado, Hejaz e Thorjan seguem para libertar os reféns e Liam se volta para conversar com a elfa que acabara de chegar.

Ela diz se chamar Sara Glarfiel,  líder de um grupo de patrulheiros. Ela explica que seu grupo estava no rastros desses goblins a dias. Eles eram responsáveis por saquear caravanas de mercadores, viajantes e pequenos povoados nas redondezas. Viviam se escondendo na floresta, ficando de 2 a 3 dias em um local e partindo para outro em seguida, despistando os patrulheiros.

Glarfiel e seu grupo conseguiu chegar ao acampamento depois de encontrarem três cavalos feridos e ofegantes. Após seguirem seus rastros encontram uma sangrenta cena de combate na estrada, onde encontraram corpos de goblins e rastros de worgs, que permitiu chegarem ao acampamento. Liam descobre que os animais eram os cavalos do trio, que haviam fugido. Os elfos trazem os cavalos até o acampamento. Eles estavam feridos, porém vivos.

Enquanto isso Thorjan e Hejaz libertam três prisioneiros de amarras. O quarto, que estava aprisionado em uma gaiola, diz se chamar Paulo, irmão de Juliana. Os demais prisioneiros eram aldeões e viajantes das redondezas, moravam em  Tilêna e Elvan, pequenos povoados agrícolas e madeireiros do sul da floresta. Paulo estava bastante ferido e possuía sinais de tortura.

Hejaz acalma os aldeões com sua palavra de fé e em seguida cura seus ferimentos. Eles ficam imensamente agradecidos pelos que chamaram ser “enviados da Deusa da Luz”. O anão Thorjan oferece comida e água para os aldeões, que prontamente aceitam. Hejaz apresenta a si e aos seus companheiros e em seguida retorna para o local onde havia deixado a garota Juliana, orando para que ela estivesse bem.

Para a surpresa de Hejaz, ele encontra o corpo de um worg morto e a garota Juliana viva, agachada ao lado do guardião da fé. O clérigo agradece pela proteção de Rarion e despensa seus serviços.  O guardião acena positivamente com a cabeça e se desfaz em luz, retornando para seu plano de origem.

Hejaz regressa ao acampamento e leva a garota consigo. Lá Juliana pode finalmente reencontrar seu irmão.

De volta a estrada…

Após derrotarem os goblins e salvarem os reféns, Liam e Hejaz fazem um acordo com Sofia Glarfiel. Eles convencem a elfa a levar os aldeões de volta seus vilarejos em segurança, já que estavam em uma missão muito importante em Marantel.

O dia estava amanhecendo. Os patrulheiros e aldeões deixam o acampamento goblin e o trio finalmente consegue repousar após uma madrugada bastante conturbada. Um dos patrulheiros elfo é destacado para protegê-los enquanto descansavam e, quando despertassem, guiá-los de volta a estrada.

No início da tarde do dia seguinte o trio, já recuperado, alimentado e descansado, retorna para o caminho original, na estrada, e seguem com seus cavalos em direção a Marantel. Eles levam o dia inteiro cavalgando a marcha veloz.

A sessão termina assim que o grupo cruza a Ponte do Acordo e chega a cidade de Marantel, à noite.

Continuação: A Coroa da Ruína, 2ª Parte: Burocracia em Marantel, sessão I

A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final
5 (100%) 1 vote

pinit_fg_en_rect_red_28 A Coroa da Ruína, 1ª Parte: Atravessando Grishtar, sessão final

Leia Também:

2 Comments

  1. Ótimo resumo. Sequencia de combates alucinante!.
    Só achei os Worgs, muito narigudos e farejadores para além da conta!

  2. Que bom que gostou!
    Foi uma pequena sidequest.
    A aventura em si está por vir.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén