Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Aventuras em Crivon, Crivon

O urro do urso coruja

Para ver o capítulo anterior, clique aqui.

Personagens envolvidos: 
Delgrim Escudo Dourado – anão da montanha – guerreiro
Juliette Tasselroff – endoariana (humana) – ladina
Forflin dos Muitos Livros – anão da montanha – mago
Sigurn Escudo Abençoado – anão da montanha – guerreiro

AWR-600x275 O urro do urso coruja

O Vale das Flores Selvagens

O urro do urso coruja

O grupo avançou pela floresta seguindo as orientações de Rickster. O curandeiro parecia conhecer bem o caminho e caminhava com determinação e pressa. Atrás dele, o grupo, já apresentando sinais de cansaço, vinha devagar, pois além do caminho ser repleto de aclives e declives, eles ainda tinham que se revezar no transporte da maca onde estava Glader. Durante a jornada, Juliette e Frida conversam entre si e iniciam uma relação amistosa.

Delgrin decidiu que uma pausa era necessária, pediu que todos parassem e uma vez reunidos, o grupo decidiu enviar um batedor pelo caminho indicado pelo curandeiro, para se certificarem de que aquele caminho era adequado para prosseguirem. Eles elegem Juliette para a missão, devido as suas reiteradas provas de grande habilidade nessa posição. Enquanto Juliette segue a frente seguindo as orientações de Rickster, os demais integrantes descansaram brevemente.

Em seu caminho a ladina não encontra perigos, mas percebe que o caminho é ainda mais acidentado do que os anteriores. Ao fim dele, após descer por uma ravina, encontra uma pequena queda d’água e uma pequena gruta, mais além era possível divisar um abismo que levava a um vale. Juliette se banhou brevemente na fina água fria que caiu e reabasteceu seu cantil, ganhando nova força para retornar.

Com Juliette de volta, o grupo decidiu indagar o curandeiro sobre o que lhe havia acontecido e o porquê de ter deixado todos os seus pertences para trás e o que havia entre eles que os tornavam tão preciosos. Enquanto cuidava de Glader, Rickster respondeu:

“- Como havia dito, a cada seis meses, saio pelas matas em busca de ingredientes para minhas poções e para atender a encomendas de outros herbalistas e curandeiros. Existe um lugar em particular que costumo ir bastante, principalmente ao final de minha jornada, pois tem abundância de recursos e tem pontos de descanso ideais, o local é chamado de Vale das Flores Selvagens. Só que desta vez fui surpreendido por uma criatura que não estava lá da última vez. Estava recolhendo algumas ervas quando fui atacado por um urso coruja! Foi tudo muito rápido, quando dei por mim o bicho já estava me atacando, só tive tempo de me defender da forma que pude e fugi o mais desesperadamente possível. Estava ferido no braço pela patada da fera – exibiu o machucado seco para o grupo – subi pelas cordas que havia deixado lá a muito tempo e corri desnorteado pela mata, com medo de que a fera – descreveu a criatura para o grupo – estivesse me perseguindo. Quando parei, me deparei com um grupo de orcs que me atingiram na cabeça. Depois, acordei naquela jaula imunda onde vi um dos prisioneiros sendo levado para fora, espancado, estripado e devorado por aqueles brutos, aí desmaiei achando que ali seria meu fim. Então vocês apareceram e nos salvaram. Tenho uma grande dívida com vocês! No vale ficaram meus equipamentos e kits de primeiros socorros, além de pomadas e cataplasmas curativos que poderiam garantir a vida deste anão e ainda ajudariam vocês com seus ferimentos. Além do fato de que se vencerem a fera poderemos utilizar um caminho que é um verdadeiro atalho, melhor do que o caminho mais longo, que arrodeia o vale.”

Sigurn, permanecia desconfiado, estimulado por Juliette e com a ajuda de Forflin, decidiram fazer com que o curandeiro fizesse um mapa indicando o caminho que margearia o vale, para o caso deles perderem o curandeiro. Sentindo-se ofendido pela desconfiança e contrariado, Rickster sentou-se e elaborou, de forma rudimentar, um mapa na linguagem comum. Delgrin lamentou e se desculpou com o curandeiro pelo tratamento que os demais integrantes haviam lhe dado. Rickster, murmurou reclamações enquanto novamente tratou de examinar os ferimentos de Glader.

O grupo pegava um fôlego para prosseguir quando ouviu um hediondo urro vindo de longe que espantou a todos. Rickster, como que instintivamente, se encolheu defensivamente e disse:

“- Esse… Esse foi o urro do urso coruja!”

Enquanto lia seu grimório procurando por magias, Forflin dos Muitos Livros pensava em tudo que vivenciou até aquele momento e divaga. Com a missão original de levarem uma mensagem de socorro da vila do unicórnio cinza, sob cerco orc, até a Cidadela Templo de Elorian (CTE), posto avançado e militarizado da região, o grupo acabou ajudando muitas pessoas em seu caminho, fazendo aliados e perdendo outros. O grupo mudou muito desde sua configuração original. Agora o anão, que começava a pensar em si tanto como um mago quanto como um guerreiro, dados aos reiterados embates vividos, viu que sua jornada se aproximava da etapa final. Todavia, um poderoso guincho vindo do caminho a frente fez seu sangue gelar no corpo e o levou a pensar que é quando estamos mais próximos do fim de uma jornada, que os maiores perigos se aproximam.

Juliette, que conversava com Frida, sentiu seu sangue congelar nas veias ao ouvir o estremecedor urro vindo do caminho adiante. Pensou em tudo que havia lhe passado até aquele momento, das descobertas sobre a situação que ameaça o poderio de Cidade Mort e sobre si mesma, despertando poderes que julgava não ter. De repente, ao voltar a si, olhou todos os integrantes daquela comitiva e seus novos participantes, foi quando olhou para o curandeiro. Ele estava sem suas ferramentas, parecia ansioso por recobra-las, mas a ladina desconfiava das boas intenções do homem, que naquele momento estava olhando um a um os integrantes daquele grupo e, pela forma que os olhava, parecia conta-los.

Para Delgrin estava claro que além de completar seu dever para com seu clã, agora ele precisaria manter Glader, antigo líder de sua comitiva, vivo, para juntos completarem a missão, mas para isso ele precisaria do curandeiro, que mesmo sem suas ferramentas conseguia cuidar de seu amigo. O anão pouco se importava se aquele humano tinha ou não segundas intenções com aquele cuidado, mas sabia que precisaria ajudá-lo a reaver suas ferramentas. De repente, um terrível guincho ecoou, assustando o guerreiro, que pensou que as vezes é preciso dor e sofrimento para trazer a cura a alguém combalido.

“- O que estou fazendo aqui com essa gente?!” 

Esse era o pensando de Sigurn no momento em que ouviu o urro sinistro e poderoso que fez tudo seu corpo paralisar de medo. Até aquele momento, o destemido guerreiro anão havia enfrentado todos os percalços sem questionar, mas a forma como o curandeiro os estava guiando o preocupava. Conforme Rickster, os levava pelo o único caminho que desviaria dos orcs, convenientemente os encaminhava para uma ameaça desconhecia e que o permitiria reaver ferramentas dele. Sábio, porém, de forma truculenta ele obrigou o homem a fazer um mapa, que fez de forma contrariada, para que pudessem seguir, apesar de apenas Forflin e Juliette entenderem os rabiscos. Pareceu ao anão que mais uma luta viria e ele a combateria da melhor forma que pudesse usando todos os parcos recursos que ainda dispunha. Mas outra coisa o inquietava, seu apetite, pois ele sentia uma profunda falta do sabor de queijo e de carne fresca.

Para ver digressões de um ingênuo mago, clique aqui.

Para ver a continuação da aventura, clique aqui.

10.1.1 Experiência

Geral:

1- Interpretação = 100 ptos para cada pj

Criação e elaboração: Patrick, Alan, Ângelo, Sandro, Shin.
Autoria da logo de capa: Shin
Fontes de imagens: internet

O urro do urso coruja
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 O urro do urso coruja

Leia Também:

2 Comments

  1. todo mundo com o toba no ponto. rsrsrs. se eu dormir e acordar no terceiro nível eu enfrento o urso… rsrsrs. Mais um capítulo de preparação, muito legal, foram aventuras muito tensas pelas escolhas difíceis que fizemos todos, mas venceremos!

  2. A vontade que Juliette tinha era de empurrar Rickster ravina abaixo e escutar o Urso-Coruja devorar seu coração… Claramente a ideia dele era arriscar a vida do grupo para recuperar seus pertences (quem sabe o que haveria entre eles, para o tal curandeiro tentar manipular um grupo de aventureiros bem armados do qual sua vida dependia…). Depois da traição de Edgar e Thuderlad, Juliette não está disposta a ser enganada novamente.

Leave a Reply

Theme by Anders Norén