Um sonho bom, tranquilo, depois de dois dias muito duros.

Harash dorme tranquilamente após uma jornada intensa, com a noite anterior não dormida – feita de batalhas. Muitas coisas ocorreram nos últimos 48 ciclos. A fadiga era física e mental. A mente do elfo, porém, estava preocupada com Comanthor – um sentimento cada vez mais crescente. Talvez raciocínio lógico, porque as coisas ainda estão muito tranquilas em Arvores Enroladas; talvez Corellon esteja lhe iluminando…

Após retornar ao acampamento, depois da peleja no templo de Chauntea, Harash descansa. De tão cansado, nem retira suas luvas suas botas, sua tiara, nem se lembra de cuidar de seus ferimentos. Quando se encosta na maca e pensa um pouco no seu Deus, o que não é incomum, dorme instantaneamente na tenda destacada da Comitiva dos Bravos.

Num sonho comum, o elfo dourado se vê na floresta, claramente Comanthor, chegando a algum lugar. Reconhece Arvores Enroladas, seu lar de origem. E como os sonhos são estranhos, algo diferente na cidade. Não tinha ninguém por lá. O elfo procura por um lado, por outro, mas não vê ninguém.

Porém abruptamente, de lugar nenhum, surge uma figura mascarada a sua frente. Este, com um olhas marcante e vidrado em Harash, saca uma lâmina e desfere um poderoso ataque, atravessando o ombro esquerdo do elfo. Sem entender, atônito, surpreso, percebe que o cenário muda. Ele não está sonhando nem está na floresta! Está na sua barraca deitado, porém com o assassino elfo sobre si – e continuando a ataca-lo com sua espada, um visco brilhante no fio da lâmina, anuncia mais que um ataque de força… Mais dois ataques antes que Harash possa sequer se mover, um corta seu abdome e o outro, praticamente mortal, perfura seu peito. Desvanecendo, o nobre espadachim mágico vê a morte lhe tocando com uma mão gélida. Antes disso, o calor vital da energia canalizada por Kirkmund lhe salva. O assassino foge e as conclusões chegam.

Pathfinder_Elfo_nas_sombras Dissuasões de um Príncipe

O Elfo ataca das sombras

Claramente um elfo de seu lar tentou lhe matar. “Morte ao traidor” foi o que ele gritou ao perfurar o peito de Harash. Aqueles olhos não são estranhos também, lembra os de um membro da comitiva de Lilion “Prateado” Beriot, que não escondeu seu ódio pelo antigo amigo.

Pela manhã, Harash estava claramente abatido. Seria morto por um de seus pares, que o vê como um vilão, alguém que merece a morte. Palavras de conforto foram proferidas por seus amigos, o que lhe serviu para levantar o moral.

Ainda pensativo, Harash percebeu que deve enfrentar esse problema de frente, sem fugir, e mostrar que a atitude de vê-lo como inimigo só fortalece os Drows, além de ser uma injustiça pois todos foram enganados, inclusive ele mesmo. Entretanto, se novamente for atacado, vai se defender.

A fé em Corellon deve ser mais presente, pois ele vai precisar do Deus Elfo. E afinal, se Ele lhe trouxe de volta a vida, através do sacerdote Avalarion (de Bristar), é porque lhe deu uma chance.

Harash sente saudade de sua casa natal. Ele já é, de fato, um cidadão do mundo, percorrendo muitos outros lugares. Mas SEU local é Comanthor – Árvores Enroladas. Essa saudade aumenta quando ele pega sua Espada Curvada Élfica, comprada a pouco tempo. Ele estava usando uma Espada Larga temporariamente, mas a sua habilidade está naquele tipo de lâmina. Decide então que iria voltar a usar a lamina élfica.

Naquela tarde, se preparando para o dia que estava por vir e partir a Elmo de Peldan, Harash muda seu foco de magia para a Espada Larga Flamejante para a lamina curvada élfica. Também substitui a espada larga pela lamina no poder de sua Luva do Armazenamento. Treina um pouco e estuda magia – percebe que aprendeu novas. Escreve pergaminhos e a noite descansa para a dura jornada que virá. Antes de dormir, ora a seu Deus para que tudo caminhe da melhor forma.

Notas mentais:

  • Não lembro se Lilion “Prateado” Beriot está perto na Abadia do Feixe Dourado, se estiver, vai procura-lo para alertar do Ent que foi corrompido pelo sangue de Moander. Se ele não estiver, vai alertar Malorn.
  • Se possível, irá tentar criar uma uma espada mágica a partir da sua.
  • Dois talentos novos – Especialização em Arma (lamina curvada élfica) e Sucesso Decisivo Aprimorado
  • Estudar novas magias
  • Verificar as magias dos pergaminhos encontrados nas últimas aventuras.
  • Treinar, treinar muito!

****************************************************************************

Observações de Andrea Argêntea,

Este texto é uma transcrição encontrada com a Comitiva dos Bravos, dada a caligrafia élfica, julgo precisamente que tenha sido feita por Harash Variel. irei incluir nos registros que estou compilando do Diário da Comitiva dos Bravos. Espero que ele goste.

Texto Original: Marcelo Guimarães (Interprete do Nobre Elfo Harash)
Revisão e Publicação: Bruno de Brito

Dissuasões de um Príncipe
Avalie o conteúdo

Leia Também: