ESTATÍSTICA DO REINO

Nome oficial: Reino dos Schnai
Soberano: Sua Majestade belicosa, o rei Ingemar Hartensen do Schnai
Governo: Monarquia independente com regência hereditária, governo de Jarls vagamente governo poderoso. Os jarls se reúnem anualmente na Assembléia de Knudje (sem a presença do rei). A Assembléia é composta de representantes enviados a Soull onde de lá é decidido o governo do atual mornárca é legítimo. O rei e cada Jarls possui um séquito de conselheiros (entre clérigos e Skalds).
Capital: Soull
Principais Cidades: Soull (pop. 5.600), Knudje (pop. 4.500)
Províncias: Onze províncias nobres controladas pelos clãs Jarls, com inúmeras vilas nobres.
Recursos: Cobre e Pedras preciosas
Cunhagem: Kronar (p.o.), Linnwurm (p.p.), Escravo (p.c.)
População: 209.000 humanos 79% (S), Anão 8%, Halfling 6%, Elfo 3%, Gnomo 2%, Meio-orc 1%, Meio-elfo 1%.
Idiomas: Língua fria, comum, anão e halfling
Alinhamentos: CN*, N, CM, CB
Religiões: Kord, Llerg, Norebo, Xerbo, Vatun
Aliados: Bárbaros do Frio, Gelo e Ratik (todos as vezes)
Inimigos: Iuz, Humanoides e Gigantes das Montanhas Curisco

RESUMO

Pathfinder_Bárbaro14-443x600 Bárbaros da Neve [Os Schnai]

Zarban, Javelim Atroz

Os Schnai, como são conhecidos os Bárbaros da Neve, são assim chamados em sua língua nativa e são os mais numerosos suelitas do norte. Eles também são considerados o melhor exemplo da raça suelita pura, muitos são tão pálidos quanto a neve em seu homônimo no norte. Eles ainda afirmam sua supremacia sobre os Bárbaros do Frio e do Gelo, mas tais reivindicações são ignoradas pelos seus vizinhos. O comércio permanece ativo entre os três reinos bárbaros desde há muito, e eles se misturam em invasões e expedições nas terras ao sul. Os navegadores dos Bárbaros da Neve são tidos como os mais peritos de Rhizia, e os capitães schnai são famosos por sua sorte genuína. Os guerreiros dos schnai são típicos bárbaros suelitas.

Eles geralmente utilizam machados de batalha ou espadas longas, e usam casacos de cota de malha resistente. Todos utilizam escudos, incluindo os berserkers. Os berserkers devotos de Vatun são especialistas em lança ou machados de batalha e geralmente não usam nada além de peles, enquanto os seguidores de Kord apreciam a espada bastarda. O rei favorece Kord e tem um grupo de elite berserkers em sua casa. Eles são mantidos geralmente em Knudje, ao invés da corte do rei em Soull, e por vezes são enviados para vilas e cidades cujos Jarls estão trazendo problemas. As outras tropas do rei são de uma variedade mais padrão, incluindo grupos de excelentes arqueiros. Ele possui poucos cavaleiros, mas muitos mestres em machados e picareta. O rei dos Schnai governa a terra entre o leste das Montanhas Curisco e a Baía de Grendep. A Floresta Spikey separa os territórios dos Bárbaros da Neve e do Gelo, embora as terras em ambos os lados sejam muito semelhantes. O clima de ambos os reinos são idênticos, assim como relativamente temperado mais ao sul. A paisagem do reino de Schnai é mais resistente do que a região dos Fruztii, muito embora não tão áspera do que a dos Cruskii . O mesmo pode ser dito das pessoas, que são mais cosmopolitas que os Fruztii e mais unidos do que os Cruskii.

HISTÓRIA
Os Schnai nem sempre foram os mais poderosos entre os bárbaros suelita, mais pelo fato deles nunca estabelecerem uma fronteira para com os reinos de seus primos. Talvez isto seja devido à sua marinha ser superior e raramente atacarem por terra. Eles sempre participaram durante o verão de incursões ao sul e foram tão bem sucedidos quanto seus vizinhos. No entanto, eles também viajaram para pontos mais distantes no mar, mais até do que qualquer outro povo de Flanaess, apesar de reivindicações dos Barões do Mar neste sentido. Seus maiores reis e Jarls foram todos marítimos, começando com Schoffmund o Forte, que derrotou o Kraken da Baía de Grendep. Desde este dia, todos os reis mortos são enterrados em navios Schnai, que são ateados fogo e deixados à deriva no mar. Enquanto os Fruztii eram historicamente mais persistentes em suas incursões sobre Aerdy, os Schnai exploravam os mares e ilhas do norte. A descoberta da Terra do Fogo durante os primeiros anos das incursões fruztii ao sul foram apenas uma grande distração. Em vez de procurar por conquistas em Flanaess, eles escolheram explorar ilhas habitáveis tais como Sfirta e Berhodt. Com tais incursões vieram contos sobre monstros gigantes e tesouros quase obtidos.

Tesouros reais sob a forma de ouro e jóias, foram, entretanto sendo encontrados pelos Bárbaros do Gelo ao norte de Aerdy. A atenção dos Schnai logo se voltou para os seus vizinhos ao sul, eles se uniram aos Fruztii e Cruskii em ataques pelo mar ao Grande Reino. Quando Aerdi finalmente derrotou os Bárbaros do Frio, os Schnai se voltaram para o controle dos Fruztii. Com seu número muito maior de navios e guerreiros, eles facilmente dominaram seus primos desfalcados do oeste. Os bárbaros invadiram mais ao sul, por todo caminho até Medegia, e lutou muitas batalhas contra os Barões do Mar ao passar pelas águas destes. Eles também forçaram os fruztii em invasões contra Ratik, ao invés de usar seus próprios guerreiros. Isso foi um erro ao longo prazo, os Bárbaros do Frio desenvolveram uma afinidade com os ratikanos e que mais tarde serviu para se erguerem contra os Schnai.

Os Bárbaros da Neve (Schnai) também se ergueram contra os Bárbaros do Gelo, arrancando a região de Ustula e a mantendo entre seus domínios por décadas. Eles nunca conquistaram os Bárbaros do Gelo, como faziam com os Bárbaros do Frio, isto porque os Cruskii eram tão hábeis no mar quanto eles, os Schnai. Os Bárbaros do Gelo são também extremamente ferozes, e seus berserkers particularmente de Llerg, desconhecem o que é o medo e quase se aproximam de bestas. No tempo das Guerras de Greyhawk, os Cruskii recuperaram Ustula, e os Fruztii quase sua total independência. Os Schnai foram atraídos à crença de um falso Vatun. Quando foi revelado que se tratava de Iuz, o velho, os Bárbaros suelitas retiraram a aliança criada entre seu reino e Stonehold.

Um grande ataque a Stonehold foi montado ao longo de vários anos por uma força combinada de Schnai e Cruskii, embora eles tenham acabado rechaçados. Desde então o jovem rei dos Bárbaros da Neve declarou finalmente a independência dos Fruztii, o Velho Rei Orvung queria ir a guerra, mas o atual rei já percebeu que a história é circunspecta, ou seja, se repete muitas e muitas vezes. As ambições do jovem rei Schnai em breve se revelarão para seus Jarls e Ingemar logo estará pronto para demonstrar seu desafeto a seus primos do frio.

Conflitos & Intrigas: Uma guerra intermitente ocorre entre os Smolders e Stonehold. O Rei Ingemar tem feitos generosas festas e dado recompensas a seus jarls mais caóticos para garantir sua lealdade. Os Jarls do frio também têm sido homenageados para garantir sua amizade e influência, o que é visto como flagrante e suborno, mas vem funcionado. O rei recebe a Fraternidade Escarlate em seus tribunais, mas em particular já revelou que não confia neles.

Conheça também os Bárbaros do Gelo e do Frio.

Fonte: Gazeta de Greyhawk
Tradução, revisão e publicação: Bruno de Brito (Mestre das Masmorras de Greyhawk).

Bárbaros da Neve [Os Schnai]
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 Bárbaros da Neve [Os Schnai]

Leia Também: