Orbe dos Dragões

Cenários, Aventuras e Sistemas de RPG

Crivon, Heróis de Crivon

Heróis de Crivon: Dargon

Elves2-392x600 Heróis de Crivon: Dargon

Ilustração sobre Dargon

Jogador: Uendel Dantas

Dargon foi um elfo dourado, guerreiro/mago, herói do final da V Era de Crivon (a Era dos Heróis), jogado por Uendel, que em conjunto com os guerreiros Dalter Clant (motaviano) e Johan Drakovitch (borgon), o clérigo Lancelot Tasselroff (ariano) e o ladino Key (sianês), formaram os primeiros personagens do mundo de Crivon Toran, antes mesmo de o cenário vir a ter esse nome ou tomar uma configuração mais sóbria.

Pertencente a uma pequena comunidade élfica dentro da Floresta do Medo, que estava subordinada ao Reino élfico de Iluminah, foi enviado em missão para descobrir pistas e o paradeiro de elfos que estavam desaparecendo estranhamente nos entornos do reino.

Suas investigações o levaram até  Zanzer Then, um próspero comerciante de pedras e minerais preciosos, que ocultamente mantinha uma outra profissão, a de escravagista, pois era um traficante de escravos e um dos líderes da obscura confraria da Serpente Azul.

Greyhawk_Sauber-Benelovoice Heróis de Crivon: Dargon

Suas investigações o levaram até Zanzer Then.

Ao descobrir a origem e local para onde estavam sendo conduzidos os prisioneiros, vaidoso e extremamente confiante em suas habilidades élficas, se infiltrou na masmorra, para sozinho libertar seus irmãos, mas acabou capturado por uma patrulha que era liderada pelo guerreiro Dalter Clant, se tornando mais um dos últimos prisioneiros na masmorra de Zanzer.

Dentro da masmorra do oculto escravagista, em conjunto com aqueles que viriam a integrar o primeiro grupo de personagens do jogo, apesar de desconfiar do guerreiro Dalter, conseguiu se libertar, combateu ferrenhamente os asseclas do mago, em conjunto com seus novos aliados, elaborou uma robusta resistência dentro das grandes galerias de mineração e durante 2 dias conseguiram não só debelar sua fuga, como também eliminaram a maior parte da infantaria do mago e por fim, num derradeiro esforço dramático, conseguiram eliminar Zanzer, libertando assim todos os prisioneiros e desbaratando o grupo da Serpente, no entanto o ladino sumiu misteriosamente e nunca mais foi visto, gerando muitas especulações e estórias sinistras.

Tempos depois participou de muitas outras aventuras com seus companheiros, algumas vezes como mercenário contratado, outras de forma altruística, derrotando bandidos, libertando vilas do julgo de monstros ou tiranos e, esporadicamente matando dragões. Tornando-se um poderoso espadachim mágico, cujo poder aumentava juntamente com sua vaidade.

Sua rivalidade com o guerreiro Dalter crescia, pois a todos o tempo um desconsiderava o outro, no entanto dada a natureza dupla de sua classe, seu poder era maior do que o do guerreiro e um duelo entre os dois significaria a vitória do elfo, fato que o levava ocasionalmente a desafiar o guerreiro, que recusava.

Uma de suas aventuras mais notáveis fora, em conjunto com seus aliados, participado da primeira parte da missão que consistia em reunir o Disco dos Três, um poderoso artefato de arremesso, elaborado pelos deuses da ordem, neutralidade e caos para deter uma poderosa entidade, um arque demônio, que poderia por fim a toda a realidade como a conheciam.

crivon-disco-dos-tres Heróis de Crivon: Dargon

O mítico Disco dos Três, que une cargas cósmicas da ordem, da neutralidade e do caos.

Entretanto durante a missão, de posse de um pergaminho antigo, encontrado com o fragmento do Caos abriu um portal que levou a si e o clérigo Lancelot a câmara do maior aliado do ser que estavam tentando conter, um demônio chamado Krymock, que ao ter sua proposta de aliança recusada pelos irresolutos heróis, os combateu ferrenhamente, sendo profundamente atingido pelo poder combinado do guerreiro/arcano e do clérigo, no entanto conseguiu matar o valente elfo.

crivon-krimock-382x600 Heróis de Crivon: Dargon

Krymock, uma perigosa entidade que foi confrontada pelos herois.

Percebendo seu estado de fraqueza após o confronto, blefou, permitindo que o clérigo de Magnus carregasse o amigo de volta para o local onde estavam originalmente, deixando o demônio para trás. Contudo, ele não contava que mais alguém o observava e acabou sendo vítima dessa poderosa  terceira figura, que percebendo sua fraqueza conseguiu aprisioná-lo, amarrando sua essência a uma antiga tumba no Vale do Tormento.

De volta ao local de onde haviam partido, o Lâmina de Magnus, conseguiu reviver Dargon, no entanto Dalter aproveitou da inconsciência do recém revido e o degolou, impossibilitando seu retorno pelas mãos do clérigo do grupo.

Relacionamento com membros do grupo:
Em seu grupo, só tinha como desafeto o guerreiro Dalter Clant, em quem nunca confiou e a quem sempre desafiou para duelar.

Mestre arcano:

  1. Em seu histórico é dito que foi treinado por seu pai Darton. Tornando-se um autodidata na nessa arte;

Mestre em armas:

  1. Foi treinado por sua mãe a guerreira élfica Cirinbel. Tornando-se um autodidata na nessa arte;

Principais inimigos:

  1. Sosserandron, o Dragão Branco;
  2. Dalter Clant, o guerreiro;
  3. Krymock o demônio.

Romances:
Além da aventura e dos combates, não teve romances em sua passagem por Toran.

Equipamentos mais relevantes:

  1. Flâmula do Sol – essa poderosa espada élfica foi forjada por um espadachim mágico na III Era de Crivon, permitindo ao seu portador, desde que tivesse habilidades de conjuração, a evocar uma bola de fogo contra o oponente, 1 vez por dia;
  2. Cota de malha élfica – essa poderosa armadura dava uma grande capacidade de defesa ao seu portador, sendo de alta qualidade e baixíssima pesagem, permitindo ao seu usuário agilidade e proteção.
crivon-lamina-flamula-do-sol-espada-136x600 Heróis de Crivon: Dargon

A fabulosa Flamula do Sol.

Principais feitos: 

  1. Membro fundador do primeiro grupo de personagens de Crivon;
  2. Desbaratou o esquema do nefário Zanzer Then e da guilda da Serpente Azul;
  3. Participou da derrota do dragão branco Sosserantharn;
  4. Participou da derrota do dragão negro Nearissbrath;
  5. Deu início a saga que reuniu o Disco dos Três;

Paradeiro – Lancelot e Johan exigiram que Dalter enterrasse o antigo membro, o que foi feito em algum lugar da Ilha da Caveira, no Mar da Sorte.

Seu corpo lá jaz com todos os seus pertences, pois seus antigos colegas não permitiriam que item algum do elfo fosse utilizado por outra pessoa.

Ruin_by_nostalgic_stock-600x450 Heróis de Crivon: Dargon

Em algum lugar da Ilha da Caveira, jaz o corpo do glorioso Dargon.

Era de existência: V
Terra Natal: Reino élfico de Iluminah
Etnia: alto elfo
Gênero: masculino
Idade: 103
Descendentes:

Elaboração: Uendel e Patrick Nascimento
Fonte de imagens: internet

Heróis de Crivon: Dargon
5 (100%) 1 vote

pinit_fg_en_rect_red_28 Heróis de Crivon: Dargon

Leia Também:

3 Comments

  1. Krymock e o Vale do Tormento. Os herois da V Era tem uma ligação forte com esse demonio.

  2. São verdadeiros tesouros de uma época quase esquecida, não fosse estes registros ricos.

    Muito bom Patrino!

  3. De que adianta uma boa estória, um bom jogo e um bom mestre sem bons jogadores? Nada, eu respondo… Citação do DM Patrick

    Uendel, nosso vizinho de infância, acompanhávamos em todos as nossas brincadeiras e não foi diferente com o RPG. Juntamente com Micke, Shin e Mau, integrou o primeiro grupo de jogadores de Crivon Toran, antes do cenário vir a ter esse nome.

    Jogou com o elfo Dargon (ser elfo em Dungeons & Dragons), fato que implicava ser automaticamente um guerreiro e mago, pois elfo era uma raça/classe de personagem. Ele interpretou um elfo poderoso e vaidoso, que não se rendia quando via a possibilidade de desafio a sua frente, no entanto entre Uendel e Shin, surgiu uma disputa de poder, que culminou com a morte do elfo.

    Lembro de que gostou tanto de jogar com homem lagarto após perder o elfo, que não largou o perfil, o que não me faz recordar de outro personagem que tenha jogado. Ele algum tempo depois, pouco antes de nos mudarmos, já não jogava mais conosco e quando nos mudarmos perdemos o contato e ele nunca mais jogou.

    Era divertido jogar com ele, pois por sua natureza impulsiva, acabavam se lançando em muitas situações legais e outras não tão legais assim, mas que ao final traziam sempre a diversão, para ele e para nós.

    Vida longa ao RPG!

Leave a Reply

Theme by Anders Norén