Halflings raramente são protagonistas em mundos de fantasia, a parte os romances de Tolkien, os pequeninos são sempre coadjuvantes nos universos fantásticos, ainda que tenham sua cota de habilidades interessantes. Logicamente a escolha de um Halfling para um icônico é bem interessante, ainda mais com a riqueza com que essa raça é representada em Golarion. O Bardo icônico foi anunciado no blog da paizo no dia 22 de Janeiro de 2008 como personagem jogável na campanha A Maldição do Trono Escarlate e na aventura Rio das Trevas.  Texto original de James Jacobs.

Tradução:
Fred Torres
Publicação: Fred Torres


Apesar de ter nascido cercado de riquezas e luxo, a infância de Lem não foi nada confortável. Ele teve o infortúnio de nascer na escravidão, filho de uma entre as legiões de escravas halflings que serviam as muitas famílias nobres de Cheliax. Antes dos dois anos, Lem já havia sido comprado, vendido e revendido por meia dúzia de famílias, destino comum aos muitos halflings nascidos nesse reino, onde são, por assim dizer, muito valorizados, muito em função do otimismo inerente à raça que, ironicamente, ameniza os desejos de fuga. Escravos Halfling costumam se achar sortudos, e costumam dizer que morar na sarjeta ou passar fome seria pior.

Lem_Statblock-100-96x200 Lem, o Livre

Entretanto, Halflings que abominam a ideia de escravidão vez ou outra nascem, halflings como Lem. Ter crescido no demoníaco império de Cheliax ensinou a Lem o que havia de mais depravado e decadente no comportamento humano. rapidamente aprendeu o que dizer e o que fazer para ganhar a graça dos seus senhores, o que lhe garantia com o passar dos anos, tarefas menos pesadas. Enquanto os outro escravos penavam nos lavatórios ou nos canis, Lem aprendeu a tocar flauta para entreter os seus mestres e seus visitantes. Nem por isso ele ignorava o sofrimento de seu povo e quando soube que doze dos seus iriam ser sacrificados para um diabo como presente para selar um acordo comercial, Lem soube que a hora de agir era aquela. Se aproveitando da liberdade de circular na mansão, foi relativamente simples queimar algumas cortinas e derramar óleo em alguns lugares estratégicos (e escondidos), assegurando-se que os outros halflings estavam na senzala. O fogo espalhou-se rapidamente e em pouco tempo a mansão estava em chamas. O que chocou Lem naquele momento foi ver os outros escravos correndo para a mansão para tentar apagar o fogo, pior ainda, quando a casa jazia em ruínas, contemplava estupefato seus irmãos e irmãs lamentarem a perda de suas moradas. Amargurado, Lem fugiu com o auxílio da escuridão.

Lem fugiu de cheliax escondido num comboio mercante e nunca olhou para trás. Embora fale muito pouco da sua vida em cheliax, muito embora reflitam claramente na sua personalidade, particularmente por seu desdém pela lei ou ordem e sua intolerância a crueldade. Rápido em tomar as dores do oprimido, Lem aprendeu que suas principais características são senso de humor e seu otimismo – virtudes que quase compensam sua baixa estatura e impulsividade. Lem viaja com seus companheiros atuais por motivos que variam com seu humor, mas valoriza suas virtudes, bem como o suprimento interminável de piadas que o dia-a-dia com eles proporciona.

A próximo Icônico será Sajan, O Irmão Dedicado.

Fred Torres

Ilustração de Wayne Reynolds

Lem, o Livre
5 (100%) 1 vote

pinit_fg_en_rect_red_28 Lem, o Livre

Leia Também: