A Igreja de Alphena

Chamada também de “A vela no escuro”. Seus seguidores costumam ser chamados de “Escolásticos”, “Tocheiros” ou Mestres do Conhecimento.

Têm como símbolo uma palma de mão contendo um lampião aceso sobre um livro aberto.

Religiões aliadas: Philaha (luz, vida) e Helm (guardiões)

Votos comuns: celibato, não uso de armas cortantes, pacifismo (escolha um).

Arma predileta: punhos.

representacao-de-Alphena-385x600 Alphena, Senhora do Conhecimento

Representação da Deusa do Conhecimento. Fonte: internet

Alphena como é mais comumente conhecida a Deusa do Conhecimento no panteão humano, cultuada por muitos estudiosos como monges, bardos, adivinhos, alquimistas, sábios, entre outros.

Sabe-se que ela fora humana um dia e que ascendera à condição de deusa, mas os detalhes dessa história são incertos. Iniciados dão a isso o nome de “Primeiro Mistério”. Para muitos é a própria existência do mistério sobre a Deusa que serve de impulso para a busca de conhecimento. Alguns acreditam que essa história só será revelada quando o Grande Dia  chegar, outros acreditam que o mistério não é de fundamento teológico e teria origem mais mundana: um antigo cisma entre facções da igreja que teria levado a uma luta fratricida e à consequente perda da Memória sobre a Deusa.

Algumas denominações disputam até mesmo o nome da entidade, que já foi chamada de: Razã, Luzia, e mais meia dúzia de nomes, mas tais designações têm lugar em apenas uma pequena minora de adeptos. Grupos inteiros de fiéis se dedicam a solucionar o Primeiro Mistério.

A formação em células mais ou menos independentes ajuda na heterogeneidade do culto. Os Padres e as Madres líderes das células são responsáveis pela comunicação com as diversas células vizinhas formando uma federação, que por sua vez se comunicam com a Biblioteca de Alphena, o maior templo dedicado à Deusa situado na grande metrópole de Salisbury – capital do Reino da Mothávia Ocidental. A Biblioteca sozinha é considerada uma federação, mas seus Padres e Madres não possuem autoridade maior que qualquer outra.

Ao conselho de Padres e Madres Superiores cabe, no entanto, uma das tarefas mais delicadas e controvérsias da Igreja: julgar e eventualmente barrar a disseminação de conhecimentos considerados potencialmente catastróficos. A existência em si dessa tarefa é um segredo conhecido apenas por altos clérigos, e a lista de termos barrados acredita-se ser muito pequena, reservada talvez para efeitos mágicos de capacidade genocida ou receitas alquímicas capazes de gerar carnificinas, massacres ou aniquilamento.

Se a heterogeneidade da Igreja é garantida pela sua formação, a unidade é garantida por sua filosofia. A natureza misteriosa da Deusa somada ao apreço dos fiéis por informações seguras e evidências consistentes criaram um ar de agnosticismo e um ceticismo organizado que acabam impedindo que uma heterodoxia muito radical se instale. Observe-se, por exemplo, o famoso boato de que haveria um diário perdido de Alphena: embora tal boato seja tomado de maneira literal por setores populares, nunca foi capaz de convencer os iniciados dada a completa ausência de indícios de sua existência. Estes o tomam como mais uma metáfora da busca incessante por conhecimento ou como uma confusão com o diário de Alis, e não como um objeto de existência real.

Os escolásticos estão espalhados pelos quatro cantos do globo, embora não sejam muitos. Com exceção da região da Biblioteca de Alphena, eles costumam ser um culto minoritário em todas as localidades.

Os fiéis a Alphena costumam ter pelo menos um dos eixos morais voltados à neutralidade. Isso significa que é sim possível encontrar devotos malignos que usam de meios no mínimo questionáveis para angariar conhecimento: desde experiências mortais com animais e humanos, prática de tortura, até a realização de experimentos com consequências devastadoras para a trama ou para a natureza. Tais atos são condenados pela grande maioria das células, e são considerados uma grande heresia.

The_Artist_card_art Alphena, Senhora do Conhecimento

É possível encontrar membros malignos entre os clérigos de Alphena. Fonte: internet

Devida a luta fratricida do passado e buscando estarem mais condizentes com o papel de mestres do conhecimento, seus clérigos com inclinações morais benignas costumam ser pacifistas. No entanto, a vertente que procura o conhecimento a qualquer custo, sem levar em consideração as questões éticas ou morais não está vinculada ao pacifismo.

A igreja se divide em algumas Ordens, sendo as principais:

OS ENCICLOPEDISTAS:

Aqueles que servem a esta ordem aceitaram a missão de coletar e organizar o conhecimento em lugares perigosos ou em situações delicadas. O conhecimento exigiria sacrifícios, e muito do que há para ver e saber está em território arriscado. Ainda assim eles precisariam ser acessados pois cada novo dado e cada nova descoberta daria mais força a Alphena e trariam a humanidade para mais perto do “Grande Dia”*.

van-berga-sorin_markov_by_billcreative-d9vwt9r-424x600 Alphena, Senhora do Conhecimento

Van Berg é um enciclopedista. By_billcreative

Para ingressar em suas fileiras é preciso passar por uma rigorosa seleção e depois por um duro treinamento para garantir que o candidato seja capaz de enfrentar os perigos do campo, por isso é raro que indivíduos comuns integrem o grupo. São formados principalmente por bardos, rastreadores, monges e clérigos, mas não é raro encontrar alguns magos. Guerreiros estão em menor número, e costumam se aproximar da Ordem pelo interesse em estratégia.

Os iniciados prestam um juramento em que se comprometem a sempre repassarem suas descobertas aos templos e nunca guardarem nova informação para si.

Aos Enciclopedistas cabe mapear, desenhar, coletar e repassar informações à Igreja. Cabe a eles ainda relatar e combater quaisquer eventos de “grande heresia” ou grandes ameaças à sua obra.

PORTEIROS:

São os Soldados de Alphena. Magos responsáveis pelos glifos de proteção que guardam os templos e suas obras, clérigo, guerreiros e monges responsáveis pela segurança patrimonial e de pessoal nas dependências da Igreja, bardos e ladinos que servem de espiões e agentes de contraespionagem, rastreadores que lideram caravanas no transporte de objetos e tomos.

OS TESOUREIROS:

São os responsáveis pelo arquivamento, catalogação, guarda e memória dos conhecimentos obtidos. São compostos exclusivamente por clérigos e monges de Alphena, normalmente alguém já de muita confiança e experiência na federação.

OS DEDICADOS:

Os dedicados são um grupo que opera secretamente por dentro das células do culto. Composto em sua maioria por pessoas malévolas, os Dedicados não aceitam a proibição da “grande heresia”. Para esses iniciados qualquer meio é legítimo para se alcançar o fim maior do conhecimento. O dogma da heresia só atrasaria a chegada do Grande Dia.

Eles são poucos e crescem com dificuldade pois a pena para o sacrilégio da “grande heresia” vai desde a excomunhão até a morte. Por isso, Dedicados costumam trabalhar sozinhos e em segredo, mas quando dão a sorte de encontrarem algum como ele são rápidos em criarem uma conexão para que possam se ajudar.

BACKGROUND: ENCICLOPEDISTA.

Você é iniciado na ordem dos Enciclopedistas, uma ordem religiosa que cultua Alphena, a Deusa do Conhecimento. Aqueles que servem a esta ordem aceitaram a missão de coletar e organizar o conhecimento do mundo. Cada novo dado e cada nova descoberta fortaleceriam Alphena, e trariam a humanidade mais perto do Grande Dia, o momento em que se saberá tudo que há para saber.

Para ser aceito no ranking da Ordem você passou por um rigoroso teste de seleção que levou em conta suas capacidades intelectuais e físicas. Você é agora um agente de campo, enviado em missões de risco para mapear, desenhar e coletar informações sobre o mundo e repassá-las aos templos de Alphena.

Perícias: pode escolher duas entre História, Religião, Arcanismo, Natureza.

Linguagem: o enciclopedista tem um idioma extra

Proficiência: cartografia

Equipamento: Um diário de campo, um conjunto de roupas de viajante, uma insígnia da ordem, amostras de algum mineral, vegetal ou animal desconhecido, e uma bolsa contendo 5 p.o

Característica: Memorial Vivo

Você foi treinado em um conjunto de técnicas de memorização e abençoado por Alphena. Para que as informações não se percam na estrada em objetos frágeis como livros e pergaminhos os Enciclopedistas desenvolveram memória Eidética. Você é capaz de lembrar do que passou com riqueza de detalhes dentro de uma área de conhecimento específica, que deve ser escolhida entre as perícias de conhecimento (História, Religião, Arcanismo, Natureza).

Para acessar esse prodígio o jogador rolará o teste e caso consiga vencer uma CD 15, poderá solicitar o conhecimento necessitado.

Elaboração: Tiago Lorenzo
Adaptações e edição: Patrick Nascimento
Consultor de D&D: Alan Venic
Fonte de imagens: internet

¹O Grande Dia é o nome dado ao momento em que se saberá tudo o que há para saber e a humanidade finalmente estará iluminada, ao lado da Deusa. Alguns dizem que a Deusa descerá de volta ao mundo e outros que a humanidade inteira se ascenderá aos céus como Deuses. Este é um tema comum no debate teológico.
Alphena, Senhora do Conhecimento
5 (100%) 1 vote

pinit_fg_en_rect_red_28 Alphena, Senhora do Conhecimento

Leia Também: