Aventura anterior: O Leão de Arzímer, 1ª parte

PdJs – Sean Kallingard, Aramil Siannodel e Fenris Ardurian

PdMs – Pragos Eldathor

Local– Erimbar, Reino de Crizandir

Descrição – A segunda parte da aventura era saber o que os aventureiros fariam a estatueta do Leão de Arzímer e quais seriam as consequências dos seus atos após deixar um rastro de sangue e morte nos estaleiros. Aramil e Fenris, achando que seus companheiros estavam mortos, regressam para entregar a estatueta a Cassarni. Eles descobrem que dentro da estatueta estava nada mais nada menos que as Jóias do Conde Albretch, roubada dias antes durante o Festival da Moeda Brilhante e procurada por toda a cidade e o condado. Eles descobrem também que Cassarni é o líder da guilda de ladrões “A Adaga Noturna”, famosa em Erimbar e que foram eles os responsáveis pelo roubo inicial das jóias, tendo sido contratados por Augustus Lamedar. Após Augustos perder a posse das jóias, tiveram interesse de rouba-las novamente, dessa vez de Talebos.

Sean e Pragos por sua vez, ao fugirem da casa de Talebos, se escondem no Templo de Fralien e são recuperados por Leila, a sacerdotisa. Mas, o envolvimento dela e toda essa história so fez atrapalhar: Augustus descobre tudo, sequestra Leila e exige de Sean o Leão de Arzímer. Sean monta um plano com seus amigos para encontrar Lamedar em uma casa de tecidos (uma das suas lojas em Erimbar). Os aventureiros se reunem, invadem a casa, enfrentam os capangas de Lamedar e o matam com a ajuda de Silvana (que enganou Augustus ao levar o grupo para o local combinado e trocar de lado na hora do combate). Para fugirem da guarda local, eles recebem ajuda do gnomo alquimista Jenun. O plano tambem envolvia incriminar Nicholas Talebos: durante a fuga, Fenris se disfarça de Talebos usando uma poção de alterar-se comprada na mão do gnomo.

No fim das contas, Leila é salva com vida, Silvana (que se diz chamar Celine) cessa suas hostilidades com Sean e termina se tornando uma “Adaga Noturna”, o grupo não é mais acusado dos crimes na casa de Talebos, pois os guardas o prendem. A casa de Augustus é incendiada por criminosos desconhecidos, e os herois descobrem que ele tinha envolvimento com os “Raposas de Mirka”, uma guilda de ladrões mirkazina (os aventureiros encontram uma estatueta de uma raposa com o próprio Lamedar). Toda a confusão gerada em Erimbar não gerou nenhum problema judicial para os aventureiros por falta de informação e provas. O único que ficou vivo e poderia depor contra eles, Nicholas Talebos, estranhamente ficou louco na prisão, o que só complicou sua situação. Os “Adagas Noturnas” ficaram com as jóias, seu líder havia ficado satisfeito com o trabalho dos mercenários.

Conclusão – A aventura termina, mas suas consequências são até hoje, colhidas pelos mercenários. Aparentemente, eles atraíram a raiva dos “Raposas de Mirka”, pois já sofreram tentativas de assassinato e ameaças. Até hoje as autoridades de Erimbar e de Therust buscam o paradeiro das jóias, avaliadas em mais de 8.000 moedas de ouro.

Aventura posterior: O Óleo de Keoghtom, 1ª parte: O Amuleto de Qoul

cda0c-joias O Leão de Arzímer, 2ª parte

Jóias do Conde Albretch

O Leão de Arzímer, 2ª parte
Avalie o conteúdo

pinit_fg_en_rect_red_28 O Leão de Arzímer, 2ª parte

Leia Também: